Polícia

Apartamentos interditados no Cidade Jardim são furtados

Moradores comentaram que vários objetos como Tvs, notebook, joias e relógios foram furtados


ARQUIVO JJ
A explosão ocorreu no dia 9 de novembro em um apartamento do primeiro andar e o se espalhou pelo prédio
Crédito: ARQUIVO JJ

Na noite desta terça-feira (21) vários apartamentos do Edifício Azaleia, no Condomínio Cidade Jardim, em Jundiaí, foram arrombados e tiveram objetos furtados. Depois do incêndio que aconteceu no dia 9 de novembro, os moradores do condomínio estão abrigados nas casas de amigos e parentes.

Moradores comentaram que vários objetos como Tvs, notebook, joias e relógios foram furtados. Eles ainda afirmam que foi uma falha interna do condomínio, e que apenas os moradores que precisavam fazer mudanças entravam no prédio, que estava interditado.

Devido à quantidade de apartamentos arrombados, a Polícia Técnica deverá levar alguns dias fazendo perícia de tudo.

As queixas devem ser apresentadas individualmente pelos donos dos apartamentos no 4.º Distrito Policial, na Avenida Fernando Arens, na Vila Progresso, com a equipe do delegado Paulo Sérgio Martins.

A mesma equipe que investiga responsabilidades pelo incêndio no apartamento que culminou com a interdição do prédio.

Incêndio

43 dias após uma explosão ter atingido um apartamento localizado no bairro Cidade Jardim 2, em Jundiaí, a torre do condomínio residencial continua interditada. Uma criança de dois anos que morava no local morreu.

Ainda conforme o Executivo, uma liberação total ou parcial da torre pode ocorrer após a avaliação. Os motivos que levaram à explosão ainda estão sendo investigados pela Polícia Civil.

A explosão ocorreu no dia 9 de novembro em um apartamento do primeiro andar e o se espalhou pelo prédio.

Por conta dos estragos, cerca de 170 famílias foram evacuadas e encaminhadas para casas de parentes. Muitas delas receberam doações, já que vários apartamentos foram destruídos pelas chamas.



Galeria de Fotos


Notícias relevantes: