Polícia

Com golpes em alta, delegado dá dicas de como se proteger

FRAUDES No ano de 2021, 70% dos boletins registrados no 3º Distrito Policial foram de golpes e estelionatos de diversos tipos


ARQUIVO PESSOAL
O delegado Florisval Silva Santos, do 3º Distrito Policial, cita algumas dicas para se proteger e não cair nos golpes
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Em Jundiaí, os golpes na internet têm se tornado cada vez mais comuns e muitos moradores da Região acabam caindo nas enganações e tendo grandes prejuízos. Em entrevista ao JJ, o delegado Florisval Silva Santos, responsável pelo 3º Distrito Policial, na Ponte São João, relata que 70% dos boletins registrados no DP foram de golpes e estelionatos de diversos tipos.

O delegado ainda afirma que os principais golpes cometidos são feitos pela internet. "Os golpes mais comuns são as clonagens de linha telefônica, em que o fraudador insere a foto da pessoa em uma linha diferente e passa a pedir depósito em uma conta bancária como se fosse para pagar uma dívida", afirma.

Aos 41 anos, Toni Junior Casarino Alves, caiu recentemente em um golpe do boleto falso. Alves conta que estava pagando as parcelas de seu carro e os boletos chegavam via e-mail. "Paguei as últimas parcelas e depois de um tempo a financeira entrou em contato comigo, dizendo ter parcelas atrasadas, como tinha os boletos e os comprovantes, foi constatado que havia sido fraude. Eu tive um prejuízo de R$ 3 mil", relata ao informar que mesmo procurando o Procon não teve êxito.

CLONAGEM

A clonagem dos aplicativos WhatsApp e Instagram é um dos principais na internet e os criminosos não param de fazer vítimas. Na semana passada a assistente de administração Natália Ribeiro da Silva, de 24 anos, teve o seu Instagram hackeado. Depois que ela percebeu que haviam entrado em sua conta e alterado a senha, o estelionatário passou a anunciar itens como celulares, videogames e eletrodomésticos por um preço bem acessível. "Em poucos minutos já tinham pessoas comprando, elas afirmaram que o golpista pedia a transferência na hora", diz a assistente. 

Pelo menos cinco pessoas caíram no golpe e perderam mais de R$ 2 mil. Natália conta que abriu um boletim de ocorrência e entrou em contato com o instagram, mas até então não houve resposta. 

ORIENTAÇÕES

O delegado Florisval cita algumas dicas para identificar e não cair nos principais fraudes que estão acontecendo na região.

- No caso de clonagem de redes sociais, cabe à pessoa que está sendo procurada entrar em contato com a pessoa verdadeira para saber a verdade.

- Com relação às máquinas de cartão, a única forma de evitar o golpe é não fazendo compras na porta de casa para serem pagas com cartão.

- Golpes em sites de vendas como OLX ou Mercado Livre, em que o estelionatário simula o pagamento, e manda um Uber fazer a retirada. Nesse caso, a única forma de evitar, é não entregar o item enquanto não confirmar o depósito.

O Procon Jundiaí foi procurado e informou que não tem registros sobre dados de fraudes e estelionatos.

Os outros distritos policiais de Jundiaí também foram procurados e não retornaram até o fechamento desta edição.


Notícias relevantes: