Polícia

Governo do Estado entrega as obras de modernização na DDM e na Delegacia de Itatiba

Mais de um R$ 1 milhão foi investido na reforma e ampliação das unidades


Divulgação
Governo do Estado entrega as obras de modernização na DDM e na Delegacia de Itatiba
Crédito: Divulgação

O governador João Doria e o secretário da Segurança em exercício, coronel Álvaro Batista Camilo, entregaram, nesta segunda-feira (10), os novos espaços das Delegacias de Defesa da Mulher (DDM) e do município de Itatiba, que foram ampliadas e modernizadas. Mais de R$ 1 milhão em recursos estaduais e municipais foi investido na melhoria estrutural das unidades, bem como em novos equipamentos e mobiliários. Além de melhorar as condições de trabalho dos policiais, a medida aprimora o atendimento à população.

“Estamos reformando todas as delegacias do estado e assim vamos até o fim da gestão. O Governo de São Paulo atua de forma a valorizar o municipalismo em compartilhamento com as Prefeituras”, afirmou Doria. A cerimônia foi realizada na sede nas unidades, na rua Benedito da Silveira Franco, nº 156, no bairro Vila Santa Luzia. Os projetos e a execução dos trabalhos ficaram sob a responsabilidade da Árbore Engenharia, que concluiu as atividades no fim do ano passado.

Além da DDM e da Delegacia de Itatiba, o prédio reformado abriga ainda o 1º DP e o Plantão Policial. A entrega dos novos espaços beneficia os mais de 120 mil habitantes do município. “Essa entrega representa não só um benefício para o cidadão, mas ainda mais dignidade para o policial. É mais conforto para o profissional trabalhar melhor e atender bem a nossa população do Estado de São Paulo”, afirmou o coronel Camilo.

DDM de Itatiba

Em operação desde 1992, a DDM de Itatiba foi completamente revitalizada. A unidade conta agora com uma uma sala de interrogatório e videoconferência, uma sala individualizada para o acolhimento e atendimento às vítimas, brinquedoteca, fraldário e toda infraestrutura de higiene e alimentação com total acessibilidade.

“Todos sabem que a violência doméstica é um grave problema social do mundo inteiro. Por conta disso, lembro de quando eu falei ao governador para dar atenção ao tema e ele não ficou indiferente. E essa delegacia reinaugurada hoje é um exemplo disso”, afirmou a delegada Elisabete Ferreira Sato, da Delegacia Geral Adjunta (DGPAd).

A unidade é chefiada pela delegada Aline Nery Bonchristiani, a qual é apoiada por uma equipe com escrivão, papiloscopista policial e psicólogos e assistentes sociais que ficam à disposição das vítimas de violência. A DDM da cidade está em funcionamento desde dezembro de 1992 e atualmente presta seus serviços das 9 às 18 horas.

Delegacia do município

A Delegacia Sede do Município também passou por melhorias. A unidade conta com o plantão policial, sala de espera, sala para depoimentos, duas salas de investigações e outras duas para o investigador chefe e escrivão chefe, três salas para os escrivães do cartório de inquéritos, uma sala para o Cartório Central, sala do delegado de polícia titular, além de cozinha, alojamento, copa, oito banheiros, sendo um deles com acessibilidade e fraldário, e duas celas de carceragem.

O local é chefiado pelo delegado José Mário de Lara, que tem o apoio de outros 10 policiais, sendo três escrivães, seis investigadores e um carcereiro, além de uma frota com sete viaturas. Cerca de 350 B.Os são registrados na delegacia mensalmente.

Combate à violência contra a mulher

O Estado de São Paulo é pioneiro na criação e aplicação de políticas de combate à violência contra a mulher. Das 138 DDMs em funcionamento no Estado, 11 atendem 24 horas e todas as demais delegacias paulistas seguem o Protocolo Único de Atendimento em casos de violência contra a mulher, com procedimentos que visam melhor acolher as vítimas.

Além disto, desde abril de 2020 as vítimas desse tipo de crime podem registrar ocorrências eletronicamente, por meio de um computador, tablet ou celular; e desde agosto do mesmo ano o atendimento nestas especializadas passou a ser exclusivo para ocorrências de violência doméstica ou familiar e infrações contra a dignidade sexual levando em conta a identidade de gênero e não apenas o sexo biológico.

Para mulheres com medida protetiva expedida pela Justiça, a SSP ainda oferece o serviço SOS Mulher, um aplicativo criado pela Polícia Militar e que funciona como um botão do pânico. Por meio da ferramenta, as vítimas de violência doméstica podem solicitar ajuda apertando apenas um botão no celular.


Notícias relevantes: