Polícia

Mulher diz que foi agredida após dar ultimato ao namorado: ou eu, ou a droga

A vítima foi ajudada por populares a embarcar em um ônibus para procurar atendimento na UPA


Jornal de Jundiaí
O caso foi registrado no Plantão e será encaminhado para investigação na Delegacia de Defesa da Mulher
Crédito: Jornal de Jundiaí

Por Fábio Estevam - A Polícia Civil vai investigar um caso de agressão ocorrido neste fim de semana, no Jardim Novo Horizonte (Varjão), em Jundiaí, em que uma mulher, de 29 anos, denunciou o namorado por agressão e ameaça de morte. Segundo ela, ele reagiu de forma violenta ao receber um ultimato: para seguir com o relacionamento, ele teria que parar de usar drogas. Por conta das lesões, causadas por socos, pontapés e golpes de capacete, a mulher precisou procurar atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, e para isso contou com a ajuda de algumas pessoas.

A Guarda Municipal foi informada de que uma mulher, vítima de agressões, havia dado entrada para atendimento na UPA. Com a chegada dos GMs, ela contou que estava com o namorado em uma festa de sua mãe (mãe da vítima), e, após saírem, resolveram passar a casa da mãe do namorado para ver se ela estava bem – a vítima trabalha para como cuidadora da mãe dele, de segunda e sexta-feira.

No caminho, segundo relato dela, ele quis comprar drogas, motivo pelo qual iniciaram uma discussão, já que ela não queria estar em uma biqueira e nem mesmo queria que ele se drogasse. Apesar disso, ele foi até o local, com ela junto, e comprou cocaína.

Já na casa da mãe dele, iniciaram nova discussão, momento em que ela impôs sua condição para a continuidade do namoro. Em seguida, tentou ir embora, mas foi impedida por ele quando já estava no quintal. Quando ela o empurrou para poder sair, ele passou a agredi-la com um soco na boca e chutes e também utilizou o capacete para golpeá-la. Também em seu relato, a mulher contou que ele também a ameaçou de morte, caso ela o denunciasse à Polícia, e que sua sogra presenciou toda a situação.

Após isso, com ajuda de algumas pessoas, ela conseguiu ir até um ponto de ônibus, de onde foi para a UPA para ser atendida. Na unidade de saúde, após ouvi-la, os GMs foram até a casa da mãe do namorado e o prenderam – neste momento, segundo relato dos guardas, ele confessou as agressões.

Na delegacia, porém, ao contrário do disse as GMs, o namorado negou os chutes, socos e golpes de capacete, alegando que a agressão se limitou a um empurrão.

Em sua decisão, o delegado plantonista decretou a prisão em flagrante do investigado, que foi encaminhado ao Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista, ficando à disposição da Justiça.

O caso deve ser investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí.


Notícias relevantes: