Polícia

Homem que matou colega com 'bala perdida' em Jundiaí é condenado

O crime aconteceu na noite de Natal, quanto ele tentava matar outra pessoa, que não foi atingida


Divulgação / Ilustração
O réu, que já esteve preso por cerca de um ano, foi condenado a 10 anos de prisão por homicídio doloso
Crédito: Divulgação / Ilustração

Por Fábio Estevam - Um homem acusado de homicídio consumado e duas tentativas de homicídio numa mesma situação, na noite do dia 24 de dezembro de 2004, no Jardim Novo Horizonte (Varjão), em Jundiaí, assistiu pela internet, nesta semana, ao seu julgamento e condenação. Os crimes foram julgados pelo Tribunal do Júri, no Fórum de Jundiaí, e o réu acompanhou no prédio da Defensoria Pública de Iguatu, no Ceará, a 2.600 quilômetros de Jundiaí. Ele foi condenado a 10 anos e terá de cumprir 1/6 da pena para ter direito à progressão de regime.

À época, o caso ganhou bastante repercussão, já que, a pessoa que ele tentou matar, na verdade, sequer foi atingida pelos disparos. Mas as ‘balas perdidas’, no entanto, naquela noite de Natal, acabaram matando um colega seu e ferindo outro homem.

Após analise do resultado das investigações, do depoimento das testemunhas e do acusado, e das atuações de acusação e defesa (Defensoria Pública), a Justiça se convenceu de que o réu foi até o bar (ele morava em uma chácara em frente), com uma arma e passou a perseguir o homem a quem ele queria matar. Este, por sua vez, correu. O autor efetuou alguns disparos, mas não acertou seu algoz.

Dois tiros, no entanto, acertaram dois homens que estavam no bar, sendo que um deles morreu. O outro foi socorrido ao hospital e sobreviveu.

Apesar de ele não ter matado quem queria matar, e ter tirado a vida de quem não desejava, por 4 votos a 3 os jurados acompanharam a acusação e o condenaram a 10 anos pelo crime de homicídio doloso, ou seja, teve intenção de matar. Isso porque, ao atirar, ele também assumiu o risco de poder acertar outra pessoa, sobretudo porque havia muita gente celebrando o Natal no bar a na rua.


Notícias relevantes: