Polícia

Defensoria e PM são procurados pelo JJ


Em sua avaliação sobre a audiência, o defensor Fábio Sorge comentou. "O indiciado foi preso em flagrante pela prática de um crime de furto, porque teria subtraído R$300,00 em dinheiro que estavam em um veículo. Teria ainda arrombado a porta do carro. Foi preso em sua casa, enquanto dormia, porque teria sido visto por um vigia no veículo. Não estava com o dinheiro. Ao chegar na custódia, notei que ele tinha os joelhos ralados, a camisa suja, como quem foi arrastado e, pior, cuspiu sangue na carceragem. Felizmente, o flagrante foi relaxado pelo magistrado, após pedido da acusação e defesa, porque não havia prova clara de autoria. Além disso, foi determinada uma investigação pela Corregedoria da Polícia Militar, sobre a conduta dos envolvidos. O indiciado foi liberado e iria procurar o serviço médico, havia uma preocupação que ele tivesse algum ferimento interno. Espero que esteja bem. Nítido caso de abuso de autoridade, com violência contra a pessoa presa", disse.

A Polícia Militar foi procurada pela reportagem do Jornal de Jundiaí, por meio de sua assessoria de imprensa. Foi explicado sobre a determinação do juiz, bem como relatado parte do assunto e informado o número do Boletim de Ocorrência, para que a Corporação pudesse ter acesso ao conteúdo completo, bem como chegasse a todo o processo e à decisão da Justiça, para que então se manifestasse sobre o caso. No entanto, até o fechamento e publicação desta matéria em nosso portal, às 18h30 (o prazo para resposta era 17h30), não obtivemos resposta. De qualquer forma, o JJ se coloca à disposição da PM para que se manifeste em momento oportuno.


Notícias relevantes: