Polícia

Antes grávida, mulher volta a ser presa em Jundiaí, agora com o bebê no colo

Ela estava grávida quando foi presa, cinco meses atrás; agora, foi presa em flagrante, com o filho no colo


Divulgação
O entorpecente foi apreendido e logo será destruído
Crédito: Divulgação

Por Fábio Estevam - Uma mulher foi presa em flagrante, por tráfico de drogas, em sua casa no Jardim Novo Horizonte (Varjão), em Jundiaí, nesta terça-feira (2), enquanto carregava no colo seu filho recém-nascido, de apenas 5 meses. A prisão foi feita por policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise). Ela, inclusive, já havia sido presa alguns meses atrás, em Itupeva, quando ainda estava grávida, e vinha respondendo ao processo em liberdade.

Durante a audiência de custódia, realizada na manhã desta quarta-feira (3), no Fórum de Jundiaí, a Justiça entendeu que, mesmo ainda amamentando, o flagrante deveria ser transformado em prisão preventiva, ou seja, ela ficou presa e foi encaminhada à Cadeia Feminina de Itupeva. O filho ficou aos cuidados dos avós.

O CASO
A Dise obteve informações de que um homem estaria armazenando e envazando cocaína em sua casa, para distribuição em bairros da Zona Oeste de Jundiaí, como Varjão, Jardim Tulipas e Medeiros, além de outros de Itupeva. Feita a incursão, os policiais foram recebidos pela mulher, com o bebê no colo, que imediatamente confessou atividade criminosa e em sua casa e autorizou a entrada.

No imóvel foram encontrados 7 kg de cocaína, já batizada, que renderia entre R$ 50 e R$ 100 mil nos pontos de venda. A droga, de acordo com a mulher, pertence ao marido, que também havia sido preso junto com ela, meses atrás. Ele não estava na casa.

Outro homem, que estava com ela no local, foi preso, assim como um adolescente, que foi apreendido e encaminhado à Fundação Casa.

Além da cocaína, os detetives também apreenderam 1 kg entre maconha e crack, além de milhares de cápsulas vazias, contabilidade do tráfico, balanças de precisão e liquidificador.

O caso segue em investigação: “precisamos, entre outras coisas, saber onde essa droga havia sido refinada, antes de ser levada para esta casa para ser envazada”, disse o delegado Marcel Fehr.


Notícias relevantes: