Polícia

Acidente na Bandeirantes coloca em discussão ciclismo nas rodovias


T_adriana-calcanhoto
Crédito: Reprodução/Internet
A morte de dois ciclistas na rodovia dos Bandeirantes, no último sábado (26), coloca em discussão a segurança deste tipo de prática em rodovias. O acidente envolvendo um ônibus e 28 ciclistas aconteceu no km 17, sentido São Paulo, na altura de Pirituba. O ciclista profissional Orlando Alves, de 31 anos, que atua neste esporte há 16 anos, afirma que os riscos são grandes e uma somatória de fatores deve ser considerada, desde o próprio pelotão de ciclistas, carro de apoio e distração de condutores. “Além disso, a queda de peças de carros ou caminhões são aspectos extremamente perigosos em uma rodovia”, cita. Embora o perigo seja evidente, Alves afirma que pedalar em uma rodovia como a Bandeirantes, por exemplo, é mais seguro do que transitar pela Marginal do Rio Jundiaí. “Aqui não há acostamento, o local é repleto de buracos, aumentando os riscos, pois os motoristas tentam desviar das valas e podem acertar os ciclistas”, diz. Já na rodovia dos Bandeirantes, Alves explica que o fato do local contar com acostamento é positivo. “O perigo continua, pois com a alta velocidade dos veículos, existe a possibilidade de acidentes com ciclistas, que normalmente resultam em situações graves”, detalha. Para transitar em uma rodovia, Orlando Alves ressalta que o ciclista não pode, em hipótese alguma, deixar de usar roupas coloridas e pisca-alerta na bicicleta. “São itens que chamam atenção dos motoristas. Os treinos normalmente acontecem no período da manhã, levando em consideração o clima e a visibilidade”, explica. CUIDADO Embora o tráfego de bicicletas no acostamento das rodovias brasileiras seja permitido pelo Código Brasileiro de Trânsito (CTB), a concessionária responsável pela rodovia dos Bandeirantes, CCR AutoBan, recomenda que os ciclistas evitem transitar pelas rodovias. Juntamente com Polícia Militar Rodoviária e ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), a concessionária realiza diversas campanhas com o objetivo de orientar ciclistas sobre os riscos. A última acontece no domingo, 20, nas regiões dos quilômetros 20 (São Paulo), 39 (praça de pedágio de Campo Limpo), e 126 (Santa Bárbara D’Oeste) e km 150 (Limeira) da Rodovia dos Bandeirantes. Na ocasião, cerca de 100 ciclistas foram orientados. De acordo com a AutoBan, entre os dias 1 e 27 de janeiro foram registrados no Sistema Anhanguera-Bandeirantes 2 acidentes envolvendo ciclistas, com duas vítimas fatais. Uma redução de 60% no total de acidentes e 33% no total de vítimas fatais em relação ao mesmo período do ano de 2018, quando foram registrados 5 acidentes envolvendo ciclistas, com três vítimas fatais. Em nota, a empresa enfatiza a importância da utilização de roupas claras, principalmente se trafegar à noite. Também orienta os atletas, que trafeguem sempre pelo bordo externo do acostamento, seguindo no mesmo sentido dos veículos. A CCR AutoBan alerta que os ciclistas não utilizem fones de ouvido, pois escutar o trânsito é fundamental. Cita ainda, que os ciclistas jamais peguem rabeira ou vácuo, pedalem em fila indiana sempre em pares e redobre a atenção nas entradas e saídas da rodovia, respeitando as normas de trânsito, utilizando capacete, fazendo uso de retrovisores e buzina, além da instalação de adesivos refletivos em todos os lados, inclusive nos pedais. [caption id="attachment_49136" align="aligncenter" width="800"]Rui Carlos Rui Carlos[/caption]

Notícias relevantes: