Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Acusado pela namorada de tortura é indiciado e delegado pede prisão preventiva

Fábio Estevam | 15/05/2020 | 18:42

A Polícia Civil de Várzea Paulista indiciou por lesão corporal e ameaça, o homem de 48 anos acusado pela namorada, de 42 anos, de tortura e cárcere privado durante três dias, no Jardim Primavera. Ele, que está preso temporariamente por cinco dias desde a última terça-feira – período se encerra neste sábado -, deve permanecer encarcerado, caso a Justiça acompanhe o pedido de prisão preventiva feita ontem pelo delegado do caso, Rafael Diório.

Após interrogar o acusado e ouvir a vítima, além de realizar diligencias, Diório disse que ele e os investigadores encontraram provas de que ela de fato sofreu agressões e ameaças, o que motivou o indiciamento e o pedido de prisão preventiva. “Fica agora a expectativa de que a temporária seja convertida em preventiva, mesmo porque o inquérito continua em aberto e continuam as investigações em torno de tortura e cárcere”, comentou ele.

Se a Justiça expedir mandado de prisão preventiva, ele deixa o Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista diretamente para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Jundiaí, onde vai aguardar encarcerado o prosseguimento das investigações e seu julgamento.

O caso

Na madrugada do dia 5 (terça-feira) a vítima havia sido trancada pelo namorado após, segundo ela, passar por três dias de tortura. Ao ouvir vizinhos ela gritou por socorro e a Guarda Municipal foi chamada.

Os guardas Bosco, Gonçalves e Louro, da Ronda Ostensiva Municipal (Romu), foram para o local e a libertaram. Ela estava bastante machucada e foi conduzida ao Plantão Policial. Após seu depoimento Diório pediu mandado de prisão temporária contra o agressor, que não voltou mais para sua casa. na última segunda-feira o mandado foi expedido pela Justiça e na terça ele foi preso pela Polícia Civil.


Link original: https://www.jj.com.br/policia/acusado-pela-namorada-de-tortura-e-indiciado-e-delegado-pede-prisao-preventiva/
Desenvolvido por CIJUN