Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Adolescentes são recrutados por facção para “gerenciar” o tráfico

Fábio Estevam | 08/12/2019 | 05:01

A facção criminosa que comanda os presídios e tráfico de drogas em todo o estado de São Paulo tem contado cada vez mais com adolescentes e também crianças de 10 anos assumindo cargos de gerência em pontos de venda e distribuição de entorpecentes. A informação é do investigador-chefe da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Jundiaí, Leandro Basson, endossado pelo juiz da Vara da Infância e Juventude de Jundiaí, Jefferson Barbin Torelli. “A gente ouve falar sim sobre uma ala mirim da facção”, disse Torelli.

“Não dá para ter certeza de que essa ala mirim existe, mas é fato que o tráfico tem recrutado adolescentes de 15, 16 anos, para assumirem cargos mais elevados, do que apenas venderam as drogas nos pontos de tráfico. São cargos de gerência, às vezes dos pontos de venda, na distribuição”, disse. “Uma das razões é o tratamento diferenciado que um adolescente sofre quando apreendido, em relação a um adulto, quando preso. As leis são mais brandas. Compensa mais para os criminosos recrutarem os menores”, avaliou.

Para o investigador Basson, não há dúvidas de que há, sim, uma ala mirim da facção. “O tráfico usa muitos menores de idade, que têm idades de 10 a 17 anos, por causa da legislação penal que favorece essa “mão de obra”, pois na maioria das vezes, mesmo apreendidos, voltam rápido ao trabalho e custam menos. Os menores assumem cargos de olheiros ou vendedores, também”, disse Basson.Hoje em dia, de acordo com o chefe de investigação, a Dise prende e apreende uma média de 26 pessoas por mês com envolvimento com o tráfico de drogas, sendo 19 maiores e sete menores. “Sempre que a facção criminosa percebe o potencial de menor para liderança e inteligência para o crime, o promove a membro, mesmo sendo menor”.

Equiparado a crimes hediondos, o tráfico de drogas é responsável por 61% das internações de adolescentes na Fundação Casa de Jundiaí. Dos 52 internos (dados computados até 12 de novembro), 32 foram apreendidos pelas forças policiais traficando entorpecentes em pontos de venda não apenas de Jundiaí, mas de 14 municípios. Porém, de acordo com a assessoria de imprensa da Fundação, não há informações sobre internos ligados a facções.

Preocupação
Para Torelli, o crescimento da participação de adolescentes em cargos de hierarquia maior na facção representa um perigo. Uma preocupação de toda a sociedade. “É algo com que todos nós devemos nos preocupar como sociedade e esse atrativo de trabalhar para o tráfico para ganhar mais trabalhando pouco é um problema.”


Leia mais sobre | |
Link original: https://www.jj.com.br/policia/adolescentes-sao-recrutados-por-faccao-para-gerenciar-o-trafico/
Desenvolvido por CIJUN