Polícia

Funcionários de clínica de reabilitação são presos por sequestro


recupeção
Crédito: Reprodução/Internet
Três homens, todos com passagens por roubo e funcionários de uma clinica de reabilitação para dependentes químicos, de Cajamar, foram presos por guardas municipais do Apoio Tático nesta manhã no Jardim Bonfiglioli, em Jundiaí, depois de imobilizarem e amarrarem um homem de 52 anos, com o pretexto de que estavam fazendo uma internação compulsória. Eles foram indiciados pelo artigo 148 (sequestro e cárcere privado). Um irmão e uma irmã da vítima também vão responder pelo mesmo crime, já que se apresentaram na hora da abordagem e disseram estar autorizando a internação. A vítima, lúcida, porém bastante nervosa com a situação, pediu socorro aos GMs e contou como foi a invasão à sua casa. A GM recebeu denúncia anônima de que estava havendo um roubo a uma residência, e que três homens tatuados haviam saído de um carro preto e entrado na casa. Rapidamente duas viaturas de deslocaram para o local e chegaram no exato momento em que os três indivíduos, já dentro do carro, com a vítima amarrada, se preparavam para deixar o local. "Inicialmente eles resistiram à abordagem, se negando a sair do carro e a colocar as mãos na cabeça", disse o GM Felipe, que estava na companhia dos guardas Eugênio e Moreira. Na outra viatura, a primeira a chegar ao local, estavam André, Gadelha e Braga. Durante a abordagem a vítima pediu socorro e disse que estava sendo sequestrada. Os suspeitos disseram ser de uma clinica de reabilitação e que estavam levando o suposto paciente para a clínica. Duas pessoas, um homem e uma mulher, saíram de outro carro, à frente, alegando que eram irmãos da vítima e que haviam autorizado levá-lo para que fosse tratado. "Mas nenhum deles, nem irmãos e nem os funcionários da clínica, apresentaram qualquer laudo ou documento que indicasse que a vítima necessitaria da internação, que era doente, viciada, nada... A história estava realmente muito estranha", falou Felipe. Todos foram levados para o 6º DP, onde a ocorrência foi apresentada. Os cinco pagaram fiança no valor de um salário mínimo cada um e forma liberados. A vítima contou que os três entraram em sua casa sem permissão, deram-lhe um mata-leão, e o amarraram. "Toda vez que ele conta sobre a forma como foi imobilizado, ele chora de tristeza", contou o GM André.   Herança Foi apurado que a vítima tem outros dois irmãos e uma irmã, todos herdeiros de uma grande área na região, onde a ele mantém uma plantação de cogumelos. Os irmão (dos quais dois foram presos) querem comprar a parte pertencente à vítima. A tentativa de intervenção seria para facilitar, de alguma forma, a tomada da área pertencente a ele. O caso está sendo investigado.  

Notícias relevantes: