Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Atingido por viga de 200 quilos, bombeiro nasce de novo

| 30/04/2014 | 11:36

O cabo do Corpo de Bombeiros de Itupeva, Claudinei da Silva, 41 anos, atingido no último dia 27 de março por uma viga de 200 kg durante incêndio – também em Itupeva -, pode ir para casa hoje, depois de passar quase um mês na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital São Vicente de Paulo, em Jundiaí. Médicos consideram sua melhora milagrosa e cogitam deixá-lo continuar a se tratar em casa.

Sem sequelas do trauma sofrido e já com a voz estável, Claudinei conversou com exclusividade com o Jornal de Jundiaí Regional, nesta quinta-feira (24). “Estou feliz e agradecido ao hospital, à minha família, aos colegas e a Deus”, afirmou. Voltar à ativa no Corpo de Bombeiros é um dos seus objetivos para os próximos meses, mas seu sonho mais imediato é rever o filho caçula, João.

Por ter apenas 8 anos, o menino não pôde visitar o pai na UTI. “Minha mulher diz que ele pergunta todos os dias quando eu volto. Não vejo a hora de abraçá-lo.” Ao longo dos quase 30 dias de internação, sua esposa, Renata, o visitou duas vezes por dia, sem falhas. “De manhã posso receber duas visitas, mas uma sempre é dela. Meus outros filhos – Lucas, 19, e Marcos, 24 – também me visitaram bastante, além dos meus colegas da corporação.”

Apesar das visitas o alegrarem, a presença de Renata é que garantia força para vencer cada dia. “Os 40 minutos com ela eram o bastante para aguentar o resto do dia.”

Superação
Apesar da gravidade do acidente, o cabo Claudinei afirma não sentir dores no corpo, exceto pelas escaras que se formaram em suas nádegas, devido ao tempo acamado. “Não sei se é milagre, mas acredito muito em Deus. Eu levo uma vida de bastante voluntariado, sempre me importei com as pessoas, independente de religião. Acho que de alguma forma recebi um apoio lá de cima.”

Acordar no hospital foi um susto para o bombeiro, que demorou a entender o porquê de estar cercado por tantos aparelhos e cuidados. “Estávamos em um grande incêndio e acabou a água do caminhão. A última lembrança que tenho é de ir avisar o comandante”, contou. Ao entrar no casarão histórico do município de Itupeva, a estrutura cedeu e uma viga de 200 kg atingiu Claudinei.

O cabo foi levado em estado grave ao Hospital São Vicente de Paulo. “Ele chegou em coma, com fraturas na coluna e crânio, além de concussão e inchaço cerebral”, explica o médico intensivista, Eduardo Leme Ferreira. De acordo com o médico, a melhora superou qualquer expectativa. “Foi surpreendente. Ele chegou em estado crítico e hoje já cogitamos mandá-lo para casa. E, se Deus quiser, vai voltar ao trabalho em breve.”

Para Ferreira, a medicina não foi a única responsável pelo sucesso do tratamento. “Há outras forças atuando. Uma delas é a do próprio Claudinei. Ele é muito forte. Acordou depois de apenas um dia de coma, contrariando todas as expectativas. Não dá para explicar.”

Claudinei tem expectativa de que possa voltar a atuar como motorista do Corpo de Bombeiros em breve. “Sinto saudades do meu trabalho, do meu dia a dia. Escolhi essa carreira há 22 anos e ainda é o que eu gosto e quero fazer.”


Link original: https://www.jj.com.br/policia/atingido-por-viga-de-200-quilos-bombeiro-nasce-de-novo/
Desenvolvido por CIJUN