Polícia

Avó que abusou da neta deve ficar presa até o julgamento


T_abusoa
Crédito: Reprodução/Internet
A prisão em flagrante da mulher de 44 anos, detida por policiais militares na noite de anteontem (2), suspeita de ter abusado sexualmente da própria neta, de 4 anos, na última terça-feira (1) foi convertida em prisão preventiva na manhã de ontem, durante audiência de custódia no Fórum de Jundiaí. Com isso ela permanecerá presa até o julgamento. A criança, segundo informou a mãe ao Jornal de Jundiaí, “passou por exame de corpo de delito e deve ser encaminhada ao Conselho Tutelar, para que através do órgão consiga atendimento psicológico”, disse ela, relatando estar bastante abalada com a situação. Ela disse que soube do abuso através da própria filha, que lhe procurou para contar na noite de anteontem. A filha, segundo ela também constou no Boletim de Ocorrência registrado no Plantão Policial, contou que a avó havia feito sexo oral nela. O abuso aconteceu quando a criança havia sido deixada para passar algumas horas com os avós na casa deles. A avó se aproveitou de um momento em que o avô havia saído de casa, para cometer o abuso. Quando a mãe soube, imediatamente acionou a Polícia Militar, que foi até a suspeita e fez a detenção dela. A PM Celi conversou com ela e indagou sobre o que a criança havia contado. Ela confirmou tudo o que a neta contou. Diante da confissão a policial lhe deu voz de prisão e a encaminhou ao Plantão Policial, para onde a mãe da criança também foi levada. Antes a criança também foi levada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro e posteriormente ao Hospital Universitário, onde foi examinada.

Notícias relevantes: