Polícia

Denúncia leva PMs a descobrirem carvoaria clandestina em área de preservação ambiental

T_cabreuva 2
Crédito: Reprodução/Internet
Uma denúncia anônima levou policiais militares ambientais do 3º Pelotão da 4ª Cia do 1° Batalhão Ambiental a descobrirem uma fábrica de carvão clandestina ao lado de um rio no bairro Bananal, em Cabreuva, na manhã desta quarta-feira (12). Foi constatado o desmatamento de 10 mil metros cúbicos de árvores nativas, equivalente a 0,16 hectares, motivo pelo qual o proprietário foi multado em R$ 12.800. Após receberem denúncia de que na Estrada dos Romeiros havia possivelmente uma carvoaria atuando ilegalmente, o cabo Ricardo, com os soldados Alves e Alex foram averiguar. No local eles constataram uma intervenção em Área de Preservação Ambiental (APP) e Unidade de Conservação (UC), com infração aos artigo 60, 49 e 50 da lei 9605/98, sobre fábrica de carvão sem autorização do órgão ambiental. Também foram identificadas irregularidades criminais quanto ao desmatamento. A área desmatada era de vegetação nativa secundária e já em estágio médio de regeneração. O caso foi registrado na Delegacia da cidade e o dono ficou à disposição da Justiça. Os PMs que atuaram na ocorrência foram coordenados pelo comandante de Cia, capitão Hirano; comandante de pelotão, 1° tenente Bravo, e subtenente Bigffarate, do Comando de Grupo Patrulha. Cetesb A Companhia  Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou, por meio de nota, que a unidade de Jundiaí, também responsável por Cabreúva, que "até momento não recebeu denúncia a respeito de carvoaria no endereço citado". No nota segue: "A Polícia Ambiental, quando da constatação de ocorrências ambientais  relacionadas a poluição ambiental, remete um relatório à Cetesb, a partir do qual é realizada a fiscalização pela agência, dentro de suas atribuições. No caso em questão, considerando que a vistoria da Polícia foi realizada na data de hoje (12), provavelmente a Polícia deverá enviar o relatório. A Cetesb realizará uma vistoria ao local para averiguação de possíveis irregularidades".

Notícias relevantes: