Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

DIG tenta descobrir o que matou servidor de Várzea Paulista

GERALDO DIAS NETTO - gnetto@jj.com.br | 06/03/2018 | 20:15

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí tenta descobrir o que causou a morte do funcionário da Prefeitura de Várzea Paulista, Rafael da Rocha Nogueira, de 31 anos, desaparecido de casa desde o último dia 28, conforme boletim de ocorrência eletrônico registrado por parentes no primeiro dia deste mês. Servidor da UBS (Unidade Básica de Saúde) Jardim Cruz Alta, Nogueira também estudava em uma faculdade na Região, onde era bastante conhecido, e foi encontrado morto em uma área de mata na rua José Censi, na Vila Nambi, em Jundiaí. Nenhum ferimento externo foi verificado no cadáver, que tinha ao seu lado um aparelho iPhone pertencente ao desaparecido.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

LEIA MAIS

Corpo de servidor público desaparecido é encontrado na Vila Nambi

De acordo com policiais da equipe Apolo 3 (Gigio e Júlio), da DIG, nenhuma hipótese foi descartada. “Mesmo a possibilidade de ter havido um latrocínio, que é o roubo seguido de morte, segue sendo investigada, porque o aparelho celular não foi levado, mas sabemos que pode ter sido deixado no local em razão de o criminoso saber que tal dispositivo pode ser facilmente rastreado”, observou um dos policias. Moradores de rua queimavam fios na área de mata quando encontraram o corpo, segundo informações do boletim de ocorrência de “morte suspeita” registrado pela Polícia Civil. Tal descoberta foi comunicada a um vigilante, que acionou a Guarda Municipal.

Segundo a Apolo 3, que tem os trabalhos coordenados pelo delegado Luís Carlos Duarte, titular da DIG, o corpo estava em adiantado estado de putrefação e de bruços, com a bermuda que usava arriada. Nogueira também usava uma camiseta provavelmente de cor branca e tênis azul, e tinha uma tatuagem de âncora na perna esquerda. Familiares fizeram o reconhecimento no Instituto Médico Legal (IML). De acordo com uma prima, ele foi visto pela última vez no Terminal Central de Jundiaí e fazia uso de bebidas alcoólicas esporadicamente. Já o sepultamento ocorreu às 17h no Cemitério Municipal Nossa Senhora da Piedade, em Várzea Paulista.


Link original: https://www.jj.com.br/policia/dig-tenta-descobrir-o-que-matou-servidor-de-varzea-paulista/
Desenvolvido por CIJUN