Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Estudante de 16 anos acusa tio de cometer abuso sexual enquanto ela dormia

GERALDO DIAS NETTO | 04/06/2018 | 20:09

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí apura a denúncia de uma estudante de 16 anos, que acusou o próprio tio de abuso sexual. Um boletim de ocorrência de violência doméstica e estupro consumado foi registrado no Plantão Policial. Se condenado, o homem, um ajudante-geral de 25 anos, pode pegar até 10 anos de reclusão. Policiais militares foram acionados pelo pai da adolescente, que é cunhado do ajudante. Na residência da jovem, ela mesma deu detalhes do suposto abuso, acusando o tio materno de praticar o estupro no momento em que dormia em um dos quarto. Segundo a jovem, ela foi à casa do parente, localizada na Agapeama, pois havia brigado com o namorado e não tinha lugar para ficar, uma vez que não se dá bem com a madrasta.

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS NOTÍCIAS DO PLANTÃO POLICIAL

E MAIS: DDM MANDA PARA TRÁS DAS GRADES PADASTRO QUE ABUSOU DE MENINA

MÚSICO JUNDIAIENSE É PRESO ACUSADO DE ESTUPRO DE MENINA DE 11 ANOS

EM DIA DE FÚRIA, HOMEM ESPANCA MULHER E ESFAQUEIA DESAFETO EM JUNDIAÍ

“A adolescente disse que empurrou o agressor, mas que ele insistiu no ato. No período da manhã, a menina conversou com seu namorado, que a convenceu a contar tudo para seu genitor que, por sua vez, acionou a Polícia Militar”, segundo informações do boletim de ocorrência. Já o ajudante-geral, ao ser ouvido, negou o abuso, mas confirmou ter tido relações sexuais com a sobrinha adolescente. Garantiu ao delegado que o ato foi consentido, não sabendo explicar por qual razão a parente mentiria. A jovem chegou a ser levada ao Hospital Universitário, mas exames não conseguiram constatar a “prática de conjunção carnal recente”. A equipe médica observou, por outro lado, que a adolescente não era mais virgem. O delegado plantonista determinou análise mais aprofundada do caso, com o encaminhamento do boletim de ocorrência à DDM. A unidade é considerada especializada na apuração de crimes de violência doméstica e abusos, e deve instaurar inquérito para apurar o que de fato ocorreu.

Dados
Abusos sexuais contra pessoas com mais de 14 anos continuam a aumentar em Jundiaí, chegando a uma quantidade 300% maior do que a verificada nos quatro primeiros meses de 2017, período da comparação. Foram 12 registros até abril deste ano, contra três em 2017, resultando em um dos maiores aumentos verificados em Jundiaí nos últimos anos de qualquer modalidade criminosa. Já casos de violência sexual contra jovens de até 14 anos, conhecidos como estupros de vulnerável, tiveram alta de 21% entre os períodos, passando de 19 para 23 casos. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo. No total, 35 boletins de ocorrência de estupro, incluindo de vulnerável, foram registrados pela polícia até abril deste ano. Destes, março e abril tiveram 12 casos cada, seguidos por fevereiro (seis) e janeiro (cinco). A quantidade é 59% maior que a verificada entre janeiro e abril de 2017 (22 boletins de ocorrência).

ddm2


Leia mais sobre | | |
Link original: https://www.jj.com.br/policia/estudante-de-16-anos-acusa-tio-de-cometer-abuso-sexual-enquanto-ela-dormia/
Desenvolvido por CIJUN