Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Golpe do dinheiro emprestado pelo whatsapp continua fazendo vítimas

Fábio Estevam | 17/10/2019 | 05:00

Cinco boletins de ocorrência foram registrados no Plantão Policial entre a noite de anteontem (15) e manhã de ontem (16) denunciando o crime de estelionato, em que o bandido invade o whatsapp da pessoa e começa a se passar por ela para pedir dinheiro emprestado a seus amigos. Enquanto a reportagem consultava os BOs na delegacia, outras três pessoas também aguardavam para registrar ocorrência pelo mesmo crime no 1º e 7º DPs, que funcionam no mesmo prédio do Plantão. Na mesa do delegado responsável pelas duas delegacias havia outras cinco ocorrências, que já estavam sendo encaminhadas aos investigadores. Esse tipo de crime, segundo o delegado Antônio Dota Junior, tem aumentado muito e feito muitas vítimas todos os dias.

“Está acontecendo muito. Só aqui na minha mesa são cinco casos que estou despachando”, disse o delegado Antônio Dota Junior, que ainda receberia os que estavam sendo registrados no andar de baixo do DP pelo escrivão Xororó.

Nesse tipo de golpe, uma pessoa que tenha feito anúncio de venda de algum produto (como um carro, por exemplo) em um site de vendas recebe a ligação de um suposto representante do referido site. O golpista confirma alguns dados e encaminha ao cliente um código para que ele digite o número em seu whatsapp. Feito isso, parte do golpe já foi aplicado. O aplicativo da pessoa é bloqueado para ela por várias horas (em alguns casos, 12 horas). Durante esse tempo o golpista manda mensagens aos contatos mais próximos da pessoa pedindo dinheiro emprestado.

 

O golpe e a vítima

A reportagem conversou com uma vítima (que mandou dinheiro para o golpista) na delegacia, que mostrou o conteúdo da conversa ocorrida ontem às 11 horas. O golpista começa perguntando se ela está bem. Depois pergunta se a amiga poderia lhe ajudar, já que precisa fazer uma transferência na conta de uma pessoa para pagar uma dívida, mas que está com problemas em sua conta. E promete, inclusive, devolver o dinheiro no mesmo dia, no mais tardar no dia seguinte. Convincente, ele ainda reforça que, se a amiga quiser, ele devolve em dinheiro.

A vítima, pensando se tratar do colega de trabalho dela (de quem os golpistas invadiram a assumiram a conta do whatsapp), transferiu R$ 1.500. E assim como solicitado pelo criminoso, mandou um comprovante.

Poucos minutos depois o criminoso voltou a fazer contato, dizendo que ainda faltava mais R$ 1.700. A vítima, mais uma vez solicita, fez a transferência, inclusive relatando ao golpista (sem saber que era criminoso), que estava tirando dinheiro do limite especial do banco. No total foram R$ 3.200, que a vítima estava guardando para projetos pessoais.

Depois do almoço, no trabalho, a jovem (que havia transferido o dinheiro), encontrou com o amigo na empresa (a quem ela achou que estava ajudando). “Perguntei a ele se havia dado certo. E ele me perguntou sobre o que eu estava falando. Foi só aí que percebi que havia caído num golpe”. Ambos estavam na delegacia para registrar o BO.

 

Ameaça

Uma terceira vítima, que também recebeu contato do golpista, desconfiou. Ela foi a uma agência bancária e fez um depósito no caixa eletrônico, mas com o envelope vazio. Logo em seguida encaminhou o comprovante ao bandido. Ele respondeu que não havia dinheiro. Ela então falou. “Você não recebeu porque o envelope foi vazio, pois eu sei que se trata de um golpe”. O criminoso, com raiva, retrucou. “Vou invadir o seu whatsapp também.”

 

Delegado
Dota explicou que, quando o BO é elaborado, ele é investigado. “Os investigadores vão ouvir as vítimas, pegar o número das contas para onde foi mandado o dinheiro e chegarão no beneficiário. Só que esse beneficiário é um laranja, nem sabe o que está acontecendo. Os golpistas abordam uma pessoa qualquer, geralmente um idoso, e fazem amizade com ela. Aí pedem que, por gentileza, ela abra uma conta no banco só para que ela possa receber dinheiro de serviços que ela vai prestar. O bandido é quem administra a conta. Para isso, promete uma quantia como pagamento para usar a conta do amigo laranja”, explicou.

Dota disse que, o melhor a fazer, quando receber mensagem de um amigo pedindo dinheiro, que ligue para ele para confirmar ou fale pessoalmente.


Link original: https://www.jj.com.br/policia/golpe-do-dinheiro-emprestado-pelo-whatsapp-continua-fazendo-vitimas/
Desenvolvido por CIJUN