Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Irmãos suspeitos de assalto, estupro e espancamento

| 16/10/2014 | 22:39

A Polícia Civil de Louveira obteve na Justiça mandados de prisão temporária, pelo prazo de 30 dias, de dois irmãos acusados de assaltarem a residência de um arquiteto de 37 anos, em ação criminosa que deixou o morador em coma devido a pancadas na cabeça que ele recebeu ao tentar impedir que a esposa, de 40 anos, fosse violentada sexualmente por um dos invasores. A filha do casal, de apenas cinco anos, estava na casa no momento da invasão, mas não chegou a ser atacada.

A dupla abandonou no imóvel dois capacetes, que foram apreendidos. A pedido da polícia, a reportagem do Jornal de Jundiaí Regional publicou uma foto dos objetos, na tentativa de que informações pudessem ajudar a identificar mais rapidamente os criminosos. Pela gravidade dos delitos cometidos, diligências foram intensificadas em toda a cidade, além de municípios vizinhos.

Nesta quinta-feira (16), em Várzea Paulista, um dos acusados foi preso na casa de sua mãe. No momento da chegada de policiais de Louveira, ele tentou se esconder dentro de um quarto, mas foi descoberto. Com diversos antecedentes criminais, o detido foi identificado como Renato Pereira de Souza, de 34 anos, um ex-detento que havia deixado a prisão em junho deste ano.

Irmão por parte de mãe de Manoel Simões Garrido Neto, Renato contou que o parente, de 26 anos e apontado pela polícia como o autor do estupro da esposa do arquiteto, havia saído algum tempo antes da chegada dos policiais para consertar sua moto. “De campana” no imóvel, foi aguardado seu retorno, mas o acusado não retornou, tornando-se assim oficialmente um procurado da Justiça.

De acordo com o policial Poli, chefe do setor de investigações de Louveira, foi determinado aos policiais da unidade, pelo delegado Ruiter Martins, que o esclarecimento do caso tivesse prioridade, sendo um dos primeiros passos da investigação um contato com o fabricante dos capacetes.

Descobriu-se a partir daí que um deles, da marca Helt, de cor branca e com grafismo, era de produção limitada, com apenas três unidades comercializadas em Louveira. Paralelamente, policiais locais (Poli, Roberto, Paulo Augusto, Marcelo, Rocha e Carla) receberam denúncias de autoria e contaram com apoio da Guarda Municipal da cidade, que passou a fornecer imagens de câmeras de segurança.

Perfil no Facebook – Segundo o investigador Roberto, com a descoberta da identidade dos dois irmãos, assim como da extensa ficha criminal que eles possuem – Manoel também deixou a cadeia meses atrás -, apurou-se que o acusado de ter praticado o estupro tinha um perfil no Facebook, e nele aparecia em uma foto ao lado de um capacete branco idêntico ao encontrado no imóvel do casal.

O policial informou que, após a divulgação da foto dos capacetes, Manoel excluiu seu perfil na rede social, mas não a tempo de o setor de investigações juntar o máximo de evidências possíveis. Tais indícios serviram para reforçar o pedido de prisão temporária dos acusados, que foi apreciado e concedido pela Justiça no mesmo dia de seu requerimento.

Violência dentro de casa – Após invadirem o imóvel, dois bandidos renderam o casal e o ameaçaram, dizendo se tratar de um assalto. Em determinado momento, um deles resolveu estuprar a moradora e contou o que pretendia ao comparsa, na frente das vítimas. Ao tentar impedir que isso acontecesse, o arquiteto começou a ser violentamente agredido. Sua esposa, então, passou a ser violentada no hall da casa e foi levada a um dos quartos, onde o abuso sexual continuou. Nesta quinta-feira (16), o arquiteto continuava internado. Ele chegou a permanecer em coma, mas seu quadro clínico apresentou melhora nos últimos dias.


Link original: https://www.jj.com.br/policia/irmaos-suspeitos-de-assalto-estupro-e-espancamento/

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido por CIJUN