Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Jundiaí tem baixo índice de afogamentos, mas Bombeiros fazem alerta

SIMONE DE OLIVEIRA | 22/11/2018 | 05:03

Com os cinco afogamentos registrados só no feriado do Dia da Consciência Negra em São Paulo, aumenta a preocupação de autoridades quanto a entrada de pessoas em rios e lagos da Região. Apesar dos índices baixos de afogamento nas cidades cobertas pelo 19º Grupamento de Bombeiros, dois este ano, a orientação das autoridades é ter muita atenção e cautela, em especial quando não há policiamento no local.

Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros, Oswaldo Julião Júnior, o primeiro caso este ano foi a morte de uma criança de seis anos em Vinhedo. Mesmo na presença dos pais, ela foi jogada no rio por um homem que estava no local. Não resistiu e morreu. O outro foi uma tentativa de suicídio na região do Caxambu, mas que foi impedida pela intervenção dos bombeiros.

“A região de São Paulo tem muitas represas que as pessoas utilizam para se banhar e por isso as estatísticas são grandes. As pessoas mais pobres, que não têm condições de pagar pelo lazer, são as principais vítimas. Elas entram na água sem saber nadar ou mesmo sem condição alguma de ajudar uma vítima caso precise”, diz.

Segundo o capitão, o Corpo de Bombeiros sempre faz o alerta para que as pessoas tenham o conhecimento do local, como por exemplo, profundidade, ou se o mesmo é próprio para banho. “Tem uma dica que a gente sempre dá e que vale sempre: ‘água no umbigo é sinal de perigo’. Isto é importante principalmente para as crianças porque é no descuido que os acidentes acontecem.”

Entre as orientações para uma situação de afogamento, o capitão Julião lembra a importância de a pessoa que oferecer ajuda tenha uma mínima noção de natação. Ofereça sempre objetos flutuantes para a vítima, como câmeras de ar, boia, ou pneus de veículos. “O perigo sempre ronda estes lugares, então é preciso evitá-los, em especial quando ingeriu bebida alcoólica e há crianças na companhia”, orienta.

Morreram no domingo na Guarapiranga as estudantes Natiele Jesus Silva Mendes, de 12 anos; Poliana de Oliveira Santos, de 11; e Taís Gomes de Souza, 13. Júlio Cesar Silva de Lima, 24, e Vando de Lima Roberto, 35, morreram sábado na Billings.

Foto: Rui Carlos

Foto: Rui Carlos


Link original: https://www.jj.com.br/policia/jundiai-tem-baixo-indice-de-afogamentos-mas-bombeiros-fazem-alerta/
Desenvolvido por CIJUN