Polícia

Mulher mantida em cárcere privado apanhava com barras de ferro

barras de ferro 2
Crédito: Reprodução/Internet
Guardas municipais do Apoio Tático de Jundiaí libertaram na tarde da última segunda-feira (23) uma mulher que era mantida em cárcere privado e que era agredida com barras de ferro pelo marido no Jardim Novo Horizonte. Ela precisou ser socorrida ao Hospital São Vicente de Paulo. O Centro de Operações Táticas (COT) recebeu uma denúncia anônima através do 153 (telefone de emergências da GM) de que uma mulher estaria sofrendo violência doméstica. A equipe de Apoio Tático, composta pelos GMs Lima, Jonas, Relvy e Molero, foi acionada e, ao chegar na residência, a equipe foi atendida pelo indiciado, sendo que de pronto a equipe também avistou a vítima sentada na cama, com visíveis escoriações pelo corpo e um corte na região da boca. Ela foi questionada e confirmou o teor das denúncias, assim como o autor também confessou as agressões. Ele contou que golpeou a esposa com as duas barras de ferro em várias partes do corpo. Ele, contudo, não quis explicar o motivo das agressões. Diante dos fatos os GMs deram a ele voz de prisão em flagrante, sendo a vítima socorrida ao São Vicente, onde passou por consulta e procedimentos médicos. Foi necessário, inclusive, realizar sutura na região da boca devido a ferimentos. A ocorrência foi apresentada ao Plantão Policial, onde a autoridade ratificou a prisão em flagrante delito ao indiciado, ficando à disposição da Justiça. Patrulha Maria da Penha Além da Patrulha Guardiã Maria da Penha, em Jundiaí, integram a rede de enfrentamento e acolhimento à mulher vítima de violência as Unidades de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS), Casa Civil (UGCC), Segurança Municipal (UGSM), e Promoção da Saúde (UGPMS) – incluindo os hospitais Universitário e São Vicente de Paulo – além do Ministério Público, Defensoria Pública, Delegacia de Defesa da Mulher e Poder Judiciário.

Notícias relevantes: