Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Ponte São João vai inaugurar em janeiro o projeto ‘Bairro Seguro’

Fábio Estevam | 05/12/2019 | 05:00

A região da Ponte São João vai contar, a partir de janeiro, com o projeto ‘Bairro Seguro’. Semelhante ao ‘Centro Seguro’, em que foi possível reduzir índices de criminalidade na região central, a iniciativa da Guarda Municipal visa atuar na segurança do bairro, que vem sendo alvo de grande número de furtos e pequenos roubos, que alimentam o tráfico de drogas em pontos de venda na região. A corporação aguarda a chegada de uma base comunitária, já adquirida pela prefeitura, e que ficará por tempo indeterminado pelo bairro. A operação contará ainda com aumento do efetivo – com guardas patrulhando a pé -, além de mais viaturas e patrulhamento de motocicletas.

A medida, segundo o inspetor Nicola, responsável pela implantação do projeto, é uma questão emergencial. “A situação chegou a um ponto crítico e emergencial. A Ponte São João está em uma área crítica, que favorece usuários de drogas e o tráfico. E vamos trabalhar com base nisso”, disse.

Nicola fez um raio-x do problema, e que serviu para nortear o planejamento do projeto. A região da Ponte São João conta com diversos bairros, dentre eles o Jardim da Fonte, Vila Graffi e Vila de Vito. E é cortada por vias importantes, como a avenida Antônio Frederico Ozanan e rua Carlos Gomes, ambas repletas de semáforos, onde moradores de rua (aqueles que são usuários de crack), persistem em pedir (e conseguir) dinheiro para comprar drogas. Quando não pedem, praticam pequenos furtos em quintais e roubos a transeuntes (geralmente de celular).

Com o dinheiro, têm acesso rápido aos principais e grandes pontos de venda de drogas da cidade, que estão nessa região; no Jardim São Camilo, Vila Nambi, Jardim Fepasa e Jardim Tamoio. Já com os produtos furtados, conseguem vender em pelo menos três pontos de recepção no Jardim São Camilo, que ainda serão identificados. Um deles, aliás, sofreu duro golpe na semana passada, quando GMs apreenderam centenas de produtos furtados em toda a região, entre bicicletas, fios de cobre e ferramentas.

A reportagem apurou que um desses pontos de tráfico, no São Camilo, é o preferido dos moradores de rua e usuários de drogas, por ser uma droga mais barata e ficar próximo dos receptadores; fica no alto de um morro na esquina das ruas José Maria Whitaker e Manoel Pinto Ribeiro.

O raio-x do problema envolve também a prostituição por mulheres usuárias de crack, que se prostituem na região da Vila Arens, e têm acesso rápido aos pontos de tráfico já citados e também na Vila Esperança.

“O ‘Bairro Seguro’, portanto, não pode ser um simples projeto. É para dar bons resultados. Vai envolver a Guarda, na questão da segurança com o combate direto à criminalidade, a Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (Ugads) e o serviço municipal de saúde”, disse. A Ugads será envolvida com o encaminhamento dos moradores de rua ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Centro Pop e outros; a Saúde trabalhará com consultório de rua, atendendo mulheres de rua grávidas, encaminhando doentes às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e oferecendo internação aos viciados interessados. “Vamos trabalhar com a filosofia de polícia comunitária, atuando junto à comunidade e combatendo o crime”, falou Nicola.

O inspetor disse, ainda, que o projeto se dá em caráter emergencial, por todo o raio-x exposto, mas que outros locais devem receber o ‘Bairro Seguro’ em breve, assim como também informou o gestor de Segurança Municipal, Paulo Sérgio de Lemos Giacomelli Stel (Jacó). “O projeto que a Ponte São João vai receber é semelhante ao Centro Seguro. Parte do efetivo da GM vai ser deslocado para o bairro, além da participação efetiva dos moradores, com a criação da ‘Vigilância Solidária’, em parceria com a PM (leia mais nesta página). O principal objetivo é que estas ações levem os moradores a assumir o território, em parceria com as forças de segurança. Este modelo será levado a outros bairros de Jundiaí.”

Operação Saturação
Por ora, a Guarda Municipal segue com a ‘Operação Saturação’, que tem feito várias prisões de furtadores e traficantes, além de apreensões de drogas nos pontos de tráfico próximos da Ponte São João.

SEGURANCA NA PONTE SAO JOAO
GUARDA MUNICIPAL

Bairro também terá “Vizinhança Solidária”

Os moradores do bairro Ponte São João passam a contar, também, em breve, com o projeto da Polícia Militar “Vizinhança Solidária”. A implantação do sistema já está sendo finalizado e perto de ser lançado.
Através dele os moradores participantes poderão auxiliar uns aos outros, com alertas sobre suspeitas de crimes, com canal direto com policiais militares e também vigias noturnos e guardas municipais. “Já foram feitas duas reuniões do Conselho de Segurança (Conseg) Leste entre moradores e policiais militares. Já criamos um grupo provisório de whatsapp com alguns dos participantes e em breve esse grupo será reformulado como oficial e com a presença de PMs comunitários. Vigias e GMs também serão convidados a participar”, comentou Andréa Bonamigo do Santos, presidente do Conseg.
A tutora, que será responsável pelo projeto com os moradores, é Cristiane Aparecida Dias. Quem quiser participar deve preencher a ficha cadastral na Padaria Real, no bairro. 40 moradores já se cadastraram.


Link original: https://www.jj.com.br/policia/ponte-sao-joao-vai-inaugurar-em-janeiro-o-projeto-bairro-seguro/
Desenvolvido por CIJUN