Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

RETROSPECTIVA 2017: Mulheres foram alvos de violência

Ariadne Gattolini . agattolini@jj.com.br | 31/12/2017 | 11:44

[vc_row][vc_column][vc_column_text]CONSTANTE

policia

O ano de 2017 foi marcado por delitos dos mais variados em toda a Região. No entanto, Jundiaí e os municípios vizinhos viram uma queda nos índices de criminalidade em relação a 2016, com apenas algumas modalidades criminosas aumentando, como o roubo de carga. Violência doméstica demandou diversas medidas protetivas decretadas pelo Poder Judiciário.

Apesar da queda nos índices criminais, segundo dados apurados com base nas estatísticas da Secretaria de Segurança Pública, agressões contra mulheres foram uma constante neste ano em Jundiaí e Região.

Em alguns casos, as agressões resultaram na morte das vítimas, como da dona de casa Lucilene dos Santos Silva, de 43 anos, assassinada com requintes de crueldade dentro da própria residência, em Itupeva, no começo de outubro.

José Antonio de Jesus Silva, de 27 anos, marido da vítima, é apontado como autor do crime e já responde por uma tentativa de assassinato em 2015. Alguns dos autores de agressões chegaram a ser mandados para trás das grades por conta da ação da Delegacia de Defesa da Mulher, que, apenas em 2017, instaurou mais de 400 inquéritos policiais.

Em julho, a unidade obteve na Justiça mandado de prisão para um homem de 36 anos, acusado de agredir com um soco a companheira, da mesma idade, em um imóvel na Vila Rio Branco.

DROGAS

Apreensões de entorpecentes também foram uma constante em Jundiaí durante todo o ano de 2017. Além da Polícia Civil, forças policiais como a Guarda Municipal e a PM foram responsáveis por retirar das ruas dezenas de quilos de narcóticos que poderiam render milhões de reais a traficantes.

Em Jundiaí, maior apreensão do ano ocorreu no dia três de novembro, em uma chácara no bairro Rio Acima. Ali, mais de 160 quilos de drogas, sendo 112 de cocaína pura, foram apreendidos pela Polícia Militar. Pai e filho, moradores no imóvel, foram presos em flagrante.

Eles teriam “investido” grande soma em dinheiro para adquirir os entorpecentes e revendê-los em pontos de tráfico, segundo apurou a Polícia Militar

ALVO FREQUENTE

O Jardim Corrupira, em Jundiaí, foi palco em 2017 de grande números de assaltos em residência. Tais crimes levaram terror aos moradores, que também tiveram de amargar prejuízo pelos pertences roubados, em sua maioria por quadrilhas armadas. Em dois assaltos, moradores chegaram a ser baleados.

TRÂNSITO

Acidentes marcaram 2017 pelo número elevado de mortes em Jundiaí. Na comparação com os últimos 15 anos, apenas em 2013, 2011 e 2007, o número de casos se aproximou da quantidade computada até novembro deste ano, que fechou com 63 mortes em acidentes de trânsito.

Junho foi o mais mortal entre todos os períodos comparados, com 18 vítimas fatais, contra nove no mesmo mês do ano anterior. A quantidade de mortes no trânsito colocou Jundiaí atrás apenas da capital paulista e de Guarulhos, ficando à frente de Campinas, com seus 10 casos em junho passado e população que supera um milhão de habitantes[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]


Link original: https://www.jj.com.br/policia/retrospectiva-2017-mulheres-foram-alvos-de-violencia/
Desenvolvido por CIJUN