Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Santa Gertrudes convive com matança de gatos por envenenamento e espancamento

Fábio Estevam | 18/12/2019 | 19:00

Cerca de 50 gatos foram mortos no bairro Santa Gertrudes, em Jundiaí, neste ano, alguns por espancamento, mas a maioria por envenenamento de chumbinho. Somente uma moradora do bairro, conhecida por gostar de gatos e inclusive adotar muitos bichos de protetores, teve mais de 20 gatos mortos. Uma outra moradora, Ivanilda Xavier Silva, de 74 anos, teve quatro gatos mortos nas últimas duas semanas.

“Um foi achado por um vizinho na porta da minha casa todo ‘estourado’. Acreditamos que ele tenha apanhado, e não sobreviveu aos ferimentos”, lamentou dona Ivanilda. “Os outros três, todos adotados, foram mortos por envenenamento. Amanheceram mortos no telhado, quintal e na casa de um vizinho. É muito triste o que vem acontecendo no nosso bairro, estão matando em vários locais. São pessoas que não têm consciência da vida animal, que são seres indefesos. Quem mata um animal assim não tem respeito pela vida e pode matar até mesmo uma criança, ou mesmo um adulto”, disse.

Ela, que mora há 40 anos no bairro – 20 deles na rua Vágner de Souza -, disse que nunca soube de uma matança tão grande de gatos no local. “A gente até desconfia de algumas pessoas, mas não temos como provar. E eu nunca vi isso em nosso bairro, não sei o que tem levado as pessoas a fazerem uma maldade tão grande”, salientou ela, que não fez boletim de ocorrência. “Eu nem sabia que poderia ser feito. Fui orientada nesta semana. Se acontecer de novo, não tenha dúvidas de que farei o boletim”.

Na mesma rua em que ela mora, mais moradores perderam seus animais. Gente como Rosilaine Ferreira, de 50 anos, e seu marido Fernando Carlos, de 49 anos. “Minha gata Fifi foi encontrada morta no quintal do meu vizinho há cerca de um mês e meio. Foi por envenenamento. Foi muito duro para nós, muito triste para meu neto”, lamentou ela. “Não são animais ferozes, não são selvagens, são dóceis e carinhosos. Não fazem mal a ninguém. Difícil acreditar que estão matando tantos gatos em nosso bairro”, disse ela.

Não muito longe dali, na rua Padre Norberto Mojola, uma mulher perdeu pelo menos 20 animais, todos envenenados. Ela não quis conversar com a reportagem, por medo de represálias, já que tem outros animais.

De acordo com a protetora de animais Simone Regina Silva, da Ong Amigos dos Animais – que fica no bairro -, o número de gatos mortos só cresce. “Os casos desses cerca de 50 gatos chegaram ao conhecimento de nossa Ong ao longo do ano. E essa matança tem se intensificado agora”, disse ela.

Simone disse que tem orientado as vítimas a elaborarem Boletim de Ocorrência, como ela mesmo fez alguns meses atrás. “Poucas pessoas procuraram a polícia.”

A reportagem foi até o 6º DP, na Vila Rami, responsável pela região em que está o bairro Santa Gertrudes. A informação foi de que o delegado responsável somente estaria na delegacia hoje (19).


Link original: https://www.jj.com.br/policia/santa-gertrudes-convive-com-matanca-de-gatos-por-envenenamento-e-espancamento/
Desenvolvido por CIJUN