Política

Candidatos a prefeito têm de R$ 15 mil a 323 mil para a campanha

Dados do Divulgacand, do TSE, mostram os perfis distintos e as diferentes realidades de recursos disponíveis aos candidatos a prefeito do município


Divulgação
Fundos eleitoral e partidário serão algumas das principais fontes de recursos dos partidos para as eleições
Crédito: Divulgação

Com 13 candidatos a prefeito, o eleitor jundiaiense tem à sua disposição os mais variados perfis de concorrentes a chefe do Executivo municipal. Hoje, o Jornal de Jundiaí traz um pouco mais a fundo o histórico profissional e os recursos que cada um deles tem à disposição para brigar pelo pleito que acontece nos dias 15 e 29 de novembro. Os dados foram colhidos no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Silas Feitosa, do PRTB, tem 47 anos, é publicitário, sociólogo, professor universitário e gestor público. O principal ponto de sua campanha é o apoio ao presidente Jair Bolsonaro. O candidato tem R$ 21.582,65 disponíveis para campanha, sendo R$ 20 mil de recursos próprios e R$ 1.582,65 vindos de doação partidária, além de R$ 580.263,54 em bens declarados.

Pelo PCdoB, Rafael Purgato, 37, trabalha como professor de Física no Ensino Médio da rede pública e privada de Jundiaí e é mestre em Ciências na Área de Tecnologia Nuclear. Purgato foi vereador em Jundiaí na legislatura de 2013 a 2016. Ele possui R$ 172 mil em bens declarados e não há informações sobre doações para a campanha.

Pedro Bigardi (Rede), 60, elegeu-se deputado federal em 2010 e foi prefeito de Jundiaí de 2013 e 2016 pelo PCdoB. Engenheiro civil de formação, Bigardi foi candidato pela primeira vez em 1996 quando era filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). Ele tem disponíveis R$ 15 mil em recursos da campanha, vindos de doação do partido, além de R$ 326.620,72 em bens declarados.

O PSL tem como candidato Marcus Dantas, de 52 anos, que é auditor fiscal da Receita Federal. Dantas é deputado federal suplente pelo PSL, tem o senador Major Olímpio (PSL) como um dos mentores da sua campanha e atuou na Operação Lava jato. Ele conta com R$ 22,6 mil em recursos para a campanha, sendo R$ 20 mil do partido e R$ 2,6 mil de recursos próprios, além de R$ 612.283,09 em bens declarados.

Márcia Pará, 34, é a candidata do Democracia Cristã. A empresária já foi candidata a deputada federal e à Câmara de Jundiaí. Ativista política há anos, é conhecida por seus vídeos, lives e falas em tom crítico tanto aos vereadores quando à Prefeitura de Jundiaí. Márcia não possui bens nem recursos de campanha declarados.

Atual prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado (PSDB), aos 43 anos, tentará a reeleição. Formado em Direito, Luiz foi vereador durante a gestão de 2005 a 2008, tendo presidido a Câmara de Jundiaí em 2007 e 2008. De 2011 a 2015, já pelo PSDB, foi deputado federal. Em 2014, elegeu-se deputado estadual. Ele possui R$ 323 mil em recursos de campanha, todos de doações de pessoas física, e R$ 783.103,05 em bens declarados.

Fábio Marcussi foi o escolhido pelo PSB. Advogado e pós-graduado em Direito Civil, Marcussi foi presidente da 33ª subseção da OAB Jundiaí até o dia 4 de abril deste ano, quando se afastou para ser pré-candidato a prefeito de Jundiaí. Ele conta com R$ 110 mil para sua campanha, sendo R$ 50 mil do partido, R$ 50 mil de doações e R$ 10 mil de recursos próprios. Seu total de bens declarados é de R$ 963.978,06.

Pelo Partido Novo, o candidato será Edney Duarte Jr, de 45 anos. Advogado, pós-graduado em auditoria, controladoria e tributos, com extensão em empreendedorismo, Edney é empreendedor e atua profissionalmente na consultoria jurídica e financeira para empresas. Ele possui R$ 2,8 milhões em bem declarados, e não terá recursos partidários para a campanha.

Edimarco Silva, de 50 anos, é o candidato do Pros. Consultor empresarial e jornalista, ele esteve como vereador suplente na Câmara de São Paulo pelo PDT na gestão 2008 - 2012. Em 2014, foi candidato a deputado estadual e já foi secretário de Comunicação do Pros no estado de São Paulo. Edimarco possui R$ 90 mil em bens, mas nenhum valor de doação para a campanha declarado.

Atual vice-prefeito de Jundiaí e médico pneumologista, Dr. Pacheco estará concorrendo pelo Podemos. Ele completa 66 anos amanhã (19) e já foi vereador de Jundiaí em duas gestões: de 2001 a 2004, e 2013 a 2016. Dr. Pacheco também já foi secretário da Saúde de Louveira e diretor de Saúde em Jundiaí. Ele conta com R$ 70 mil para a campanha, vindos 100% de doação do partido e tem R$ 1,2 milhão em bens declarados.

A arquiteta e urbanista Daniela da Câmara, de 41 anos, é a candidata do PT. Ela foi secretária municipal de planejamento urbano e meio ambiente de Jundiaí, durante quatro anos, na gestão do prefeito Pedro Bigardi. Ela possui R$ 493 mil em bens declarados, mas nenhum valor de doação para campanha.

Cíntia Vanessa (PSOL), 29, é a candidata mais nova à Prefeitura de Jundiaí. Ele é formada em pedagogia, professora do Ensino Médio e atua em diferentes movimentos sociais, tendo presidido o partido recentemente. Ela não possui bens nem recursos de campanha declarados.

Alexandre Nicola (PDT) é sociólogo, com pós-graduação em Políticas Públicas e tem carreira construída como consultor e assessor na área política e empresarial. Ele conta com R$ 201 mil em recursos totais recebidos, sendo R$ 200 mil vindos do partido e R$ 1.000 em doação de pessoas físicas, além de R$ 229.234,84 em bens declarados.

 


Notícias relevantes: