Política

Há menos dinheiro nestas eleições


O cientista político e mestre em Ação Política, Márcio Coimbra, explica que as novas regras tornaram ainda mais importantes as doações de pessoas físicas para as campanhas. "A maioria dos financiamentos é realmente de particulares, pois as novas regras proíbem as doações empresariais, além do teto dos gastos de campanha, que reduz as possibilidades."

Ele afirma ainda que um dos receios de especialistas é que, com o maior número de restrições, alguns candidatos façam o chamado "caixa 2". "A tendência são campanhas mais modestas e, com menor período de campanha, pode até ser que esses menores valores sejam suficientes. Mas o receio em relação aos caixa 2, que é um dinheiro não contabilizado, é bem grande."

Para o cientista político, o não uso do Fundo Eleitoral é um ponto positivo e deve ser divulgado pelos candidatos. "A não utilização de dinheiro público mostra um diferencial. Esse novo modelo, conhecido como 'nova política', caiu muito no gosto do eleitor nos últimos anos e é uma narrativa muito interessante para o candidato, pois mostra que ele está muito mais ao lado do eleitor e de quem ele deseja representar", finaliza.


Notícias relevantes: