Política

Votação impede provas de revistas e mais no Pela Ordem


stf-dias-toffoli-2016-2520
Crédito: Reprodução/Internet

Após pedido de vista do ministro Dias Toffoli, o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu na tarde de ontem (29) o julgamento sobre a legalidade das provas obtidas por meio de revistas íntimas realizadas em pessoas que visitam presos. Até o momento, três ministros votaram pela ilegalidade da revista íntima: Edson Fachin (relator), Luís Roberto Barroso e Rosa Weber. Alexandre de Moraes foi favorável.

 

'Fenabran é casa de lobby'

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou ontem (29) que a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) é uma "casa de lobby" e que a instituição agiu para derrubá-lo. As declarações foram dadas durante audiência pública na comissão mista do Congresso que acompanha as medidas de enfrentamento à covid-19. "Inclusive financiando ministro gastador para ver se fura teto, para ver se derruba o outro lado", acusou Guedes.

'epidemia de incompetência'

"Além da epidemia de covid-19, São Paulo enfrenta uma epidemia de incompetência na gestão do prefeito Bruno Covas (PSDB)", disse na tarde desta quinta-feira (29) o candidato a prefeito de Sâo Paulo, Andrea Matarazzo (PSD). "A meu ver, o principal problema da cidade hoje é o saneamento. E entraria depois a epidemia de incompetência dessa gestão, mas aí só resolve na eleição", afirmou e candidato em sabatina.

Faculdade nega fala de Boulos

Candidato à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL) descreveu em um vídeo de sua campanha um vínculo atual como professor da Escola de Sociologia e Política que a entidade nega existir. Boulos afirmou na gravação que atualmente dá cursos na faculdade. A escola declarou que ele foi professor no ano passado, mas que, desde novembro de 2019, não há mais nenhum vínculo.

Lula e Ciro Gomes se reaproximam

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Ciro Gomes (PDT) ensaiaram uma reaproximação em encontro ocorrido em São Paulo. Afastados desde as eleições de 2018, quando fracassou a tentativa de acordo eleitoral para a Presidência, os dois falaram da necessidade de união da esquerda após a vitória do presidente Jair Bolsonaro, mas não chegaram a traçar planos para 2022.

Salles perde a conta do Twitter

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou ontem (29) que a conta dele na rede social Twitter foi usada indevidamente após uma postagem que chamava de "Nhonho", o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A conta do miniitro foi tirada do ar. "Apesar de diferenças de opinião sempre mantive relação cordial com o Maia", respondeu Salles.


Notícias relevantes: