Política

Diplomatas vão visitar a Amazônia


Diplomatas que vão acompanhar o vice-presidente Hamilton Mourão em uma viagem de avião pela Amazônia na semana que vem também estão se reunindo com entidades brasileiras que atuam na proteção ao meio ambiente e aos povos indígenas.

Ontem (30), representantes da União Europeia participaram de conferência com entidades como o Instituto Socioambiental (ISA) e a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), e com o líder indígena Dário Kopenawa, da Hutukara Associação Yanomami.

O objetivo desses encontros é ouvir a avaliação dos ambientalistas sobre a política do governo Jair Bolsonaro direcionada ao meio ambiente e à questão indígena. A viagem de diplomatas pela Amazônia está marcada para começar na próxima quarta (4) e tem previsão de durar três dias. É motivada pelas críticas internacionais ao governo brasileiro devido ao aumento do desmatamento e das queimadas no país.

Diplomatas de 10 países (África do Sul, Alemanha, Canadá, Colômbia, Espanha, França, Peru, Portugal, Reino Unido, Suécia), além dos embaixadores da União Europeia e da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica, devem participar da viagem.

Além de Mourão, devem representar o governo brasileiro os ministros Tereza Cristina (Agricultura), Ricardo Salles (Meio Ambiente), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Eduardo Pazuello (Saúde), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, tenente-brigadeiro do ar Raul Botelho.

A viagem é encarada como um sinal do governo Bolsonaro de abertura de diálogo envolvendo uma cooperação internacional. (Das agências)


Notícias relevantes: