Política

Covas descola da imagem de Doria


DIVULGAÇÃO
João Doria tem feito anúncios confusos sobre a CoronaVac
Crédito: DIVULGAÇÃO

Em uma de suas primeiras campanhas na TV nesta eleição para prefeito de São Paulo, o candidato a reeleição, Bruno Covas (PSDB), elenca fatos importantes da sua vida de forma cronológica. Diz onde nasceu, quando foi morar na capital paulista, as faculdades que fez e quando entrou para a política.

Após falar da experiência como deputado estadual e secretário de estado, ele emenda: "Em 2014 fui eleito deputado federal e trabalhei na CPI da Petrobras combatendo a corrupção. E em 2018 assumi o maior desafio da minha vida: ser prefeito de São Paulo".

Entre uma coisa e outra, a campanha omite que Covas foi eleito em 2016 vice-prefeito do hoje governador João Doria (PSDB), nome com alta rejeição entre os eleitores paulistanos e que até agora não apareceu na campanha do afilhado político.

Se não é defendido na campanha do aliado, o nome do governador é onipresente de forma negativa nas inserções, entrevistas ou comentários em redes sociais dos adversários na disputa pela prefeitura, que tentam ligar o nome de Covas ao de Doria e fazem questão de lembrar que o governador renunciou ao cargo de prefeito.

Pesquisa Datafolha de setembro mostrou que 59% dos paulistanos disseram não votar de jeito nenhum em um candidato apoiado pelo governador, rejeição maior que a do ex-presidente Lula (PT).

Por isso, a estratégia de candidatos como Celso Russomanno (Republicanos) é colar a imagem de Covas à de Doria. (FP)


Notícias relevantes: