Política

Prefeito de Jundiaí declara apoio a Bruno Covas; veja no Pela Ordem


Arquivo Pessoal
Luiz Fernando Machado
Crédito: Arquivo Pessoal

 

O Prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, reeleito em 1º turno com votação histórica, gravou vídeo em apoio ao candidato do PSDB para a Prefeitura de São Paulo, Bruno de Covas. “Até o dia 29 de novembro, vamos militar pelas ruas de São Paulo”, diz Luiz Fernando.

“A todos aqueles que trabalham, que se deslocam diariamente, entre o interior e a capital, levem a mensagem de que Bruno Covas prefeito é a garantia e a segurança de que a cidade de São Paulo estará em boas mãos”, declara ainda o prefeito de Jundiaí, que militou ao lado do candidato paulistano na Juventude do PSDB. “Estou pessoalmente empenhado em eleger Bruno Covas prefeito de São Paulo.”

alteração na lei orgânica

A Câmara de Jundiaí aprovou na sessão ordinária desta semana, já em segundo turno, a proposta de alteração à Lei Orgânica que prevê a criação e manutenção de instituições sem fins lucrativos com viés social de atendimento e amparo aos idosos, além da construção de novos lares para idosos. O texto é de autoria do vereador Cristiano Lopes (PP). O nível de envelhecimento em Jundiaí já alcançou a marca de 94,43%.

Covas tem 47% e Boulos 35%

Atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) lidera as intenções de voto no segundo turno das eleições municipais, segundo aponta pesquisa Ibope divulgada ontem. O tucano aparece com 47%, 12 pontos percentuais à frente de Guilherme Boulos (PSOL), que tem 35%. Considerando a margem de erro, que é de três pontos percentuais , Covas tem entre 44% e 50%, enquanto Boulos pode chegar de 32% a 38%.

Forças armadas no ENEM

A pedido do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do MEC responsável pela aplicação do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), as Forças Armadas vão prestar apoio logístico ao Ministério da Educação (MEC) na realização da edição de 2020. Por causa da pandemia da covid-19, as provas impressas serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro.

Sistema do TSE foi pouco testado

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, tem alegado que a demora na entrega de equipamentos por parte da empresa Oracle, em razão da pandemia, impediu a realização de testes prévios no sistema de apuração das eleições municipais, levando ao atraso na divulgação dos resultados. O TSE assinou em março o contrato no valor de R$ 26,2 milhões por 4 anos.

Agricultores 'não foram frouxos"

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (18) que agricultores e moradores do campo não foram "frouxos" na pandemia por não terem interrompido o trabalho durante a crise sanitária. "Graças a vocês, que não pararam, nós na cidade continuamos sobrevivendo. Se o 'fica em casa, a economia a gente vê depois' fosse aplicado no campo teríamos desabastecimento, fome e miséria", disse


Notícias relevantes: