Política

PT decide apoiar Rodrigo Pacheco


A bancada do PT no Senado decidiu ontem (11) apoiar Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para a presidência da Casa, na eleição que será disputada em fevereiro. Pacheco é o candidato do atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). O presidente da República, Jair Bolsonaro também explicitou seu apoio ao senador mineiro na última sexta-feira.

Alcolumbre inclusive chegou a levar Pacheco para um almoço com o presidente no Palácio do Alvorada, em dezembro. O anúncio da posição petista aconteceu na tarde desta segunda-feira, após reunião virtual da bancada. Em nota, o partido afirmou que a decisão se deu por unanimidade e foi tomada considerando dois aspectos centrais: assegurar a independência do Poder Legislativo e propor uma agenda para superar a "gravíssima crise" que o país atravessa.

A bancada do PT se tornou nos últimos dias fiel da balança na eleição no Congresso. No Senado, a sigla conta com seis parlamentares, o que corresponde à sexta maior do Senado. Com a adesão da bancada, desconsiderando possíveis traições, Pacheco conta agora com o apoio de cinco bancadas - DEM, PSD, PROS, Republicanos e PT - que correspondem a 28 votos.

São necessários 41 votos para vencer a eleição, caso todos os senadores apareçam para votar. Os petistas já pendiam para o lado de Pacheco desde o início da corrida pela presidência do Senado. No entanto, havia a expectativa de mudança de opinião de alguns senadores, após a oficialização de Bolsonaro à candidatura do senador mineiro.

Um dos argumentos em favor da aliança era que o partido já integra a aliança com o MDB na Câmara dos Deputados. Por isso, se tornaria impraticável replicá-la no Senado. (FP)


Notícias relevantes: