Política

Israel lança ataque na Síria


Pelo menos 57 pessoas morreram após um bombardeio israelense sobre o leste da Síria nesta quarta-feira (13), de acordo com um comunicado divulgado pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Segundo a ONG, este foi o ataque mais mortífero realizado por Israel desde o início da guerra na Síria, em 2011.

O bombardeio, confirmado pela Sana, agência estatal de notícias da Síria, ocorre em uma fase de intensificação das ofensivas israelenses contra alvos iranianos - é a quarta do tipo em duas semanas- e horas depois de o ministro da Defesa, Benny Gantz, afirmar que Israel "continuará agindo contra aqueles que tentarem desafiar" o país.

"Não estamos sentados e esperando. Somos ativos defensiva, política e economicamente", disse Gantz, durante uma visita à fronteira sírio-israelense.

Embora tenha mantido a postura de não confirmar nem negar suas operações em território sírio, Israel -cujo premiê, Binyamin Netanyahu é um aliado de Donald Trump- tem adotado uma postura mais agressiva antes da posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, que pode reavaliar a política de "pressão máxima" sobre o Irã.

Segundo a Sana, os bombardeios atingiram locais em Al Bukamal, cidade síria que controla o posto de fronteira na principal rodovia que liga Damasco e Bagdá, no Iraque, e que compõe uma rota de abastecimento entre o Irã e combatentes aliados na Síria e no Líbano. (FP)


Notícias relevantes: