Política

Pacheco tem apoio da maioria


O PDT anunciou nesta quinta-feira (14) seu apoio ao candidato Rodrigo Pacheco (DEM-MG) na corrida pela presidência do Senado, oferecendo ao senador mineiro um número de votos que, em tese, é suficiente para ele vencer a disputa -desconsiderando possíveis traições dentro das siglas.

Pacheco é o nome do atual presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que se engajou na articulação para fazer seu sucessor. O presidente Jair Bolsonaro já havia informado sua preferência pelo senador em reunião interna e, nesta semana, afirmou publicamente ter "simpatia" pelo candidato.

O senador já tinha o apoio de oito bancadas -DEM, PL, PP, PROS, PSC, PSD, PT e Republicanos-, que reúnem 38 votos. O PDT tem mais 3 senadores, o que daria a Pacheco os 41 votos necessários para vencer a eleição para a presidência da Casa -a maioria absoluta dos senadores.

Além disso, ele já teve apoios declarados em outros partidos, como parte da bancada do PSDB. Em tese, Pacheco contaria no momento com 44 senadores. Como a votação é secreta, no entanto, é possível que haja traições ou mesmo que senadores revertam seus votos até o dia da eleição, no início de fevereiro.

Um senador do PP, Esperidião Amin (PP-SC), informou que vai votar na rival, Simone Tebet (MDB-MS). A bancada do PSDB se dividiu em reunião na noite de quarta (13) e, por isso, o líder interino Izalci Lucas (PSDB-DF) decidiu liberar os senadores para votarem como desejarem. (FP)


Notícias relevantes: