Política

A polêmica do leite condensado


A polêmica da semana envolvendo a grande mídia e o presidente Jair Bolsonaro se deu após a divulgação, pelo portal Metrópoles, dos gastos com "alimentação" pelo Poder Executivo, que ficou em R$ 1,8 bilhão em 2020.

O número que mais chamou a atenção foi o valor de R$ 15,6 milhões gastos em leite condensado, segundo informações divulgadas. Fato que foi o suficiente para que o assunto tomasse conta das redes sociais durante toda a quarta-feira (27).

A cifra corresponde ao custo anual com o produto alimentício em todos os órgãos do governo federal, não apenas a Presidência da República. Dos R$ 15,6 milhões, R$ 14,2 milhões foram empregados pelo Ministério da Defesa, o que pagaria, segundo a pasta, pela alimentação do efetivo de todas as Forças Armadas.

Em nota enviada ao Metrópoles, o Ministério da Defesa afirmou que seus gastos com alimentação são maiores do que os de outros órgãos porque a pasta é responsável pela comida do efetivo das Forças Armadas que, segundo a pasta, é de cerca de 370 mil pessoas.

A distorção tem sido empregada nas redes sociais em postagens que sugerem que o gasto seria um indício de corrupção do presidente. No Facebook, o conteúdo reunia ao menos mil compartilhamentos nesta terça-feira (26) e foi marcado com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação da plataforma.

(Angelo Santi)


Notícias relevantes: