Política

Câmara de Jundiaí retorna e inicia os trabalhos de 2021

Sessão Foram anunciados os presidentes das comissões, e o regime especial por conta da pandemia da covid-19 foi estendido


ANGELO AUGUSTO
Apenas com a presença de assessores e jornalistas, a Câmara de Jundiaí realizou sua primeira sessão do ano
Crédito: ANGELO AUGUSTO

A Câmara de Jundiaí realizou, na manhã de ontem (2), a primeira sessão extraordinária e a primeira sessão ordinária do ano de 2021. Faouaz Taha (PSDB) será o presidente por mais dois anos, acompanhado por Rogério Ricardo (DEM) e Quezia de Lucca (PL) na Mesa Diretora.

Antes da pauta do dia, o presidente da Casa anunciou quais serão as comissões da Câmara e seus respectivos presidentes. Além disso, foi confirmada a saída do vereador Cristiano Lopes (PP), que será gestor da Prefeitura de Jundiaí, e dada posse a Adílson Junior (PP), como seu substituto.

Na ordem do dia, dois vetos do prefeito Luiz Fernando Machado (PSDB) foram mantidos, ao contrário do que aconteceu no ano de 2020, em que a maioria dos vetos de Executivo foram derrubados pelos vereadores.

O primeiro deles veta totalmente o projeto de lei do então vereador Cristiano Lopes (PP), que dispõe sobre serviços de limpeza pública, para prever prazo de no máximo 24 horas para a remoção de animais mortos de pequeno porte.

O segundo é de autoria do vereador Arnaldo Ferreira de Moraes (DEM), que não se reelegeu, e autorizava compra, comercialização e aplicação de vacinas por farmácias.

Faouaz Taha discursou rapidamente durante a abertura da sessão e afirmou que a fiscalização dos vereadores em relação ao Poder Executivo deverá crescer nestes próximos quatro anos. "O prefeito se reelegeu por conta do ótimo trabalho realizado e isso fez com que a exigência também crescesse. O sarrafo subiu, como costumamos dizer, e a cobrança será ainda maior", afirmou.

Já a vereadora Quezia de Lucca (PL), teve aprovado um requerimento que questiona a Prefeitura de Jundiaí a respeito da segurança no bairro da Ponte São João. "Pretende fazer um levantamento junto à Guarda Municipal, principalmente em relação à violência contra as mulheres", reiterou.

Horários das sessões

A Câmara de Jundiaí aprovou também, por conta do novo aumento nos casos e mortes pela covid-19, a extensão do regime especial, adotado desde o ano passado, no qual as sessões são realizadas na parte da manhã, às 9h, e sem a presença do público.

A medida vale enquanto durar a pandemia e também determina a continuação da suspensão da tribuna livre.


Notícias relevantes: