Política

Doria aposta em obras como vitrine


O rio Pinheiros (zona oeste de SP) sofreu sucessivas intervenções e agressões ao longo do século passado. Foi retificado e teve as margens tomadas por pistas para automóveis. Suas águas tiveram o sentido invertido e viraram esgoto a céu aberto.

A possibilidade de transformar um ambiente hostil em um cartão postal próximo do coração financeiro da cidade de São Paulo é uma das principais apostas de João Doria (PSDB) como marca de governo até 2022.

Até lá, quando pretende concorrer à Presidência da República, o governador quer revitalizar toda a região do rio Pinheiros, com obras que superam os R$ 3,5 bilhões. Isso inclui a tentativa de sucesso onde gestões tucanas sucessivamente falharam: concluir a despoluição do rio.

A região é uma fixação de Doria desde quando ele era prefeito. Ainda em 2017, ele anunciou o muro de vidro da USP -projeto problemático, que, em vez de melhorar, trincou a imagem do tucano.

Doria, porém, manteve o foco na região após ser eleito governador em 2018.

O projeto batizado de Novo Rio Pinheiros inclui um parque linear, ciclovias reformadas e uma área inspirada em Puerto Madero, bairro de Buenos Aires que se tornou badalado e visitado após a revitalização. Tudo ao longo de um eixo que, mesmo cortado por um rio sujo, é um dos mais valorizados da cidade. A aposta para viabilizar os projetos passa pelo uso de concessões à iniciativa privada. (FP)


Notícias relevantes: