Política

Entraves travam projetos


O antagonismo adotado pelo governador João Doria (PSDB) em relação ao presidente Jair Bolsonaro ultrapassou a retórica inflamada e a já conhecida guerra da vacina e hoje é apontado como empecilho para ao menos oito projetos do Governo de São Paulo que dependem da administração federal.

Segundo o governo paulista, as obras pendentes de realização na capital e no interior somam quase R$ 5,9 bilhões em investimentos, de ponte e duplicação de rodovia a canal e piscinão.

Nos bastidores, aliados de Doria atribuem as dificuldades e os atrasos à má vontade de Bolsonaro com o governador paulista por considerá-lo adversário na corrida pelo Planalto em 2022. De fato, o tucano não esconde sua pretensão presidencial.

"O Governo de São Paulo estudou cada um desses projetos. Espero que o calendário eleitoral e as opiniões individuais não prevaleçam sobre os benefícios que eles trarão à população, tampouco sobre os seus impactos na retomada econômica, importante não só para São Paulo, mas para o Brasil", diz o vice-governador e secretário de governo, Rodrigo Garcia (DEM).

Por outro lado, uma parceria entre governo federal e estadual conseguiu destravar o projeto do trem expresso de passageiros entre São Paulo e Campinas, uma promessa em discussão há 17 anos.

Além da pandemia, o embate direto tem outros palcos, como a Ceagesp e o Complexo Esportivo do Ibirapuera. (FP)


Notícias relevantes: