Política

Duas vacinas terão dispensa de licitação

Sputnik e Covaxin ainda não tiveram seu uso autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)


DIVULGAÇÃO
A vacina russa Sputnik ainda não tem liberação da Anvisa no Brasil
Crédito: DIVULGAÇÃO

O Ministério da Saúde confirmou a dispensa de licitação para a compra de outras duas vacinas contra a covid-19: a indiana Covaxin e a russa Sputnik V. Os extratos foram publicados no Diário Oficial da União na sexta-feira (19). Eles preveem o gasto de R$ 2,3 bilhões com a compra dos dois imunizantes e de insumos destinados à vacinação contra a covid-19.

Sputnik e Covaxin ainda não tiveram seu uso autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Portanto, mesmo que sejam compradas pelo governo, essas vacinas só poderão ser aplicadas na população depois do sinal verde da agência. Até o momento, a Anvisa autorizou o uso emergencial no Brasil de duas vacinas, a CoronaVac, e a da Universidade de Oxford, na Inglaterra.

 (Das agências)

 


Notícias relevantes: