Política

Igrejas consideradas essenciais


O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), lançou o mote "esperança, fé e oração" para anunciar nesta segunda (1) um decreto que enquadrará como atividades essenciais todas as igrejas do estado.

Assim, templos poderão funcionar durante eventuais lockdowns para conter o avanço da covid-19, como supermercados e farmácias, por exemplo.

O texto será publicado nesta terça (2) no Diário Oficial, segundo Doria. "O decreto reconhece a essencialidade de todas as igrejas no estado de São Paulo e o seu funcionamento com a regularidade, obedecidos os critérios sanitários de proteção aos que dela participam. Esperança, fé e oração: com vacinas, vamos vencer a Covid. Viva a vida", disse o governador, ao lado de deputados federais e estaduais paulistas que integram frentes parlamentares evangélicas.

Na semana passada, o governador havia barrado proposta similar: um projeto de lei do deputado estadual Gil Diniz (sem partido) que estabelecia atividades religiosas como essenciais em tempos de crises.

Segundo o pastor Luciano Luna, um conselheiro religioso do governo, Doria avaliou que o texto de Diniz, braço bolsonarista na Assembleia Legislativa paulista, carecia de requesitos sanitários. "Estava muito genérico, por isso ele tinha vetado. A preocupação dele sempre foi com a saúde. As igrejas têm bastante gente." (FP)


Notícias relevantes: