Política

São Paulo anuncia 'Operação de Guerra' e novo hospital

PANDEMIA Aumento nos casos de covid tem feito o governo paulista adotar medidas cada vez mais drásticas em todo o estado


Divulgação
Governador João Doria e secretário da saúde Jean Gorinchteyn fizeram novo pronunciamento ontem (5)
Crédito: Divulgação

O secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, anunciou nesta sexta-feira (5) uma "operação de guerra" para acolher pacientes com covid-19 no estado que inclui a convocação de profissionais de saúde voluntários. Já o governador João Doria (PSDB) anunciou ainda a criação de um novo hospital de campanha, que deve ser detalhada na próxima segunda-feira (8).

"Nós vamos continuar abrindo leitos dentro dos hospitais. Abriremos em qualquer lugar desses hospitais: seja nos anfiteatros, seja nos ambulatórios, seja nos corredores. Ah, paciente no corredor? Vai ter paciente no corredor, o que nós não queremos é paciente desassistido", disse Gorinchteyn.

Durante a coletiva de imprensa, o secretário apresentou ainda os indicadores de saúde do estado, que teve recorde de mortes por covid-19 em 24 horas nesta semana, além do maior índice de ocupação de UTIs desde o início da pandemia e também o maior total de pacientes internados com confirmação ou suspeita da doença.

"Nós precisamos agora do apoio dos conselhos regionais de classe: do Conselho Regional de Medicina, do Conselho Regional de Fisioterapia, do Conselho Regional de Enfermagem, para que nos ajudem com voluntários. Nós precisamos de ajuda. Porque estamos em guerra", afirmou.

Hospital de Campanha

"Na próxima segunda-feira, nós vamos anunciar um novo hospital de campanha. Hoje pela manhã eu pedi que fosse liberado recurso para implantação, o mais rápido possível, de um hospital de campanha aqui na capital. Não dependerá da prefeitura, mas sei que ela está preocupada", disse Doria.

Durante a coletiva de imprensa, o governador também comentou a declaração do secretário da Saúde sobre pacientes nos corredores. "Entendo a preocupação de um infectologista como o Dr. Jean, mas nós não queremos atender pacientes em corredores, queremos atender pacientes em quartos, de forma digna, e é o que vamos fazer aqui no estado de São Paulo", disse Doria.

O estado de São Paulo registrou 370 novas mortes provocadas pela covid-19 nesta quinta, elevando o total para 61.064 desde o início da pandemia.

As novas confirmações em 24 horas não significam, necessariamente, que as mortes aconteceram de um dia para o outro, mas que foram contabilizadas no sistema neste período. Os números costumam ser menores aos finais de semana e às segundas-feiras por conta do atraso na notificação nessas datas.

Na terça-feira (2), São Paulo teve outro recorde da pandemia: o maior número de mortes por covid-19 em 24 horas desde o início da série histórica, com 468 novos óbitos.

A média móvel de mortes, que leva em consideração os registros dos últimos sete dias e minimiza as diferenças das notificações, é de 276 óbitos por dia nesta sexta. O número é 25% maior que o registrado há 14 dias, o que indica tendência de alta.

No dia 30 de setembro do ano passado, o governo paulista anunciou o fechamento do Hospital de Campanha do Ibirapuera, a última instalação desse tipo a ser encerrada.


Notícias relevantes: