Política

Fortes protestos marcam o sábado


Divulgação
População paraguaia se revoltou contra o presidente sexta e sábado
Crédito: Divulgação

Manifestantes e policiais entraram em confronto em Assunção, capital do Paraguai, na madrugada entre sexta-feira (5) e sábado (6), depois de um protesto contra a forma como o governo tem gerenciado a pandemia de covid-19. Ao menos uma pessoa morreu e 20 ficaram feridas.

Participantes do ato também reivindicaram a renúncia do presidente Mario Abdo Benítez, que é acusado de fazer uma gestão desastrosa diante do colapso. Ontem (6), ele pediu aos ministros que coloquem os cargos à disposição.

O ministro de Saúde do país renunciou pouco antes do protesto, que reuniu cerca de 5 mil pessoas, de acordo com dados do jornal local "ABC Color". O presidente Benítez nomeou Julio Borba como chefe da pasta e afirmou que começaria a buscar remédios imediatamente.

Em Cidade do Leste, praticamente todos os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria estão ocupados. Paraguaios e brasileiros que vivem no país vizinho estão cruzando a fronteira para tentar buscar atendimento em Foz do Iguaçu (PR), que também está com as UTIs lotadas. Nos últimos sete dias, a taxa de infecção no Paraguai ficou em cerca de 115 por 100 mil habitantes. O país vacinou menos de 0,1% de sua população.

(Das agências)


Notícias relevantes: