Política

PGR nega pedido de investigação


A Procuradoria-Geral da República (PGR) negou o pedido de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que havia sido solicitado pelo PDT. A legenda partidária alegou que a apuração deveria ser aberta contra Bolsonaro após o presidente indicar o uso da cloroquina, da azitromicina e da ivermectina para os pacientes da covid-19 no Brasil.

"Caso surjam indícios mais robustos da possível prática de ilícitos pelo requerido, serão adotadas as medidas cabíveis. Em face do exposto, o Procuradoria-Geral da República manifesta-se pela negativa de seguimento à petição", diz a nota da PGR.

O documento assinado pelo Procurador-Geral da República, Augusto Aras, aponta que os fatos narrados "já são de conhecimento" da PGR.

"Os fatos narrados pelo noticiante já são de conhecimento da Procuradoria-Geral da República, no âmbito da qual tramitam, para apuração preliminar, a Notícia de Fato 1.00.000.014993/2020-01, instaurada em desfavor do noticiado, bem como outros procedimentos instaurados em desfavor de Ministros de Estado em tese envolvidos nos fatos", diz um trecho da decisão.

A notícia-crime havia sido encaminhada pela ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), no dia 11 de fevereiro. O PDT havia protocolado o pedido no Supremo no dia 9 de fevereiro e acusava o presidente de colocar em risco a vida da população ao indicar medicamentos.

(Das agências)


Notícias relevantes: