Política

São Paulo vai reservar a 2ª dose


Em sessão virtual realizada nesta terça-feira (23) na Câmara de Vereadores, o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, disse aos vereadores que a prefeitura não irá adotar a estratégia de usar todas as vacinas contra a covid-19 disponíveis em estoque atualmente para a primeira dose.

A recomendação do uso de todas as vacinas reservadas para a segunda dose foi feita pelo Ministério da Saúde no último domingo (21). Segundo explicação do governo federal, a antecipação pode ser feita devido à aceleração da produção por parte do Instituto Butantan e Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) a partir da chegada do insumo importado (IFA) da vacina.

"Nós não estamos adotando a estratégia de consumir a segunda dose da vacina. Não tenho segurança para isso. Então, nós só iniciamos a vacinação de um grupo se tiver a segunda dose. E não estamos usando a segunda dose para que ela seja a primeira dose. A gente quer ter a garantia de que quem recebeu a primeira dose vai receber a segunda dose", afirmou Aparecido aos vereadores.

A decisão é contrária a do governo estadual. Na última segunda-feira (22), durante a entrega de mais de um milhão de doses do Instituto Butantan, o secretário estadual da Saúde, Jean Gorichteyn, afirmou que o estado de São Paulo seguirá a determinação do governo federal e usará 500 mil doses reservadas. "Isso permite sempre ampliar o faseamento de uma das faixas etárias, mas nós já estamos bastante adiantados em relação a todo o país. (FP)


Notícias relevantes: