Política

Indústrias precisam de prazo maior


Divulgação
Rafael Cervone defende que a reforma promova simplificação
Crédito: Divulgação

Rafael Cervone, vice-presidente da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), defendeu a ampliação dos prazos de carência e de pagamento dos empréstimos já concedidos às pequenas e médias empresas, que estão novamente enfrentando dificuldades de fluxo de caixa, em decorrência da segunda onda da covid-19, mais grave do que a primeira.

"Pelas mesmas razões, é urgente uma nova rodada de aporte de recursos do Pronampe, programa de crédito especial para esse segmento, instituído pela Lei 13.999/2020, que deverá receber recursos de R$ 5 bilhões, segundo se constata no recém-aprovado orçamento da União".

Cervone, em reunião do Conselho Superior da Micro, Pequena e Média Indústria (Compi) da FIESP, observou que numerosas firmas desses portes não conseguiram acesso a linhas oficiais de crédito, tendo de recorrer ao mercado financeiro, no qual arcam com juros, prazos e condições de pagamento mais desfavoráveis. Agora, muitas delas estão se deparando com o fim da carência e a necessidade de começar a pagar as parcelas dos empréstimos, o que é difícil ou até mesmo inviável na presente conjuntura.

"Por isso, defendemos a prorrogação do prazos", explicou. O dirigente da Fiesp/Ciesp ressaltou ser fundamental apoiar as micro, pequenas e médias empresas do setor neste momento no qual os dados são preocupantes. Frisou que as vendas reais da indústria paulista caíram 1,3% em março, em comparação com fevereiro, fechando o primeiro trimestre de 2021 com redução de 0,7% ante os últimos três meses de 2020.

"Os dados demonstram o impacto do agravamento da pandemia e das medidas de restrição de mobilidade implantadas no estado de São Paulo, no qual também houve inoportuno aumento do ICMS este ano", disse Cervone.

Ele alertou que, segundo a expectativa expressa pelos empresários, o quadro de retração econômica deverá prolongar-se, refletindo-se nos indicadores de abril. (Da redação)


Notícias relevantes: