Política

Queiroga faz seu trabalho e irrita comando da CPI da Covid

Questões sobre a atuação de Bolsonaro no enfrentamento da pandemia foram evitadas


Marcelo Camargo/Agência Brasil
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante sessão da CPI da Covid
Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro Marcelo Queiroga (Saúde) irritou membros da CPI da Covid por evitar responder perguntas sobre a atuação do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia. Queiroga prestou depoimento nesta quinta-feira (6), em uma sessão também marcada por atos de obstrução dos trabalhos por senadores governistas.

Os senadores próximos ao Planalto contestaram a atuação do relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), e reagiram a cada pergunta mais incisiva e direta, para tentar evitar respostas que pudessem contrariar os interesses do governo Bolsonaro.

Queiroga tentou driblar perguntas relativas ao posicionamento pessoal do presidente Bolsonaro, recusou-se a dar sua opinião sobre o uso da hidroxicloroquina (medicamento sem eficácia comprovada para o tratamento da covid) e não quis fazer uma avaliação das condições do ministério e das ações de enfrentamento à pandemia no momento em que assumiu o cargo.

Queiroga se tornou ministro da Saúde em março, em substituição ao general Eduardo Pazuello, que saiu bastante criticado por sua atuação, pelo atraso na contratação de vacinas e pelo colapso do sistema.

O atual ministro respondeu que não recebeu nenhuma orientação de Bolsonaro referente ao uso da hidroxicloroquina, mas se recusou a avaliar a posição do presidente em defesa do medicamento.

"Todos nós estamos aguardando a resposta. Não tem três palavras, só tem uma: 'sim' e 'não'", disse o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM). "Até minha filha de 12 anos falaria 'sim' ou 'não'", completou.

Queiroga, que é médico, também se recusou a dar sua própria avaliação sobre o uso da hidroxicloroquina para o tratamento da covid-19. Ele afirmou que a instância adequada para analisar essa questão seria a Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS), da qual faz parte, que está elaborando um protocolo. (FP)

 


Notícias relevantes: