Política

Bruno Covas passa por radioterapia para controlar sangramento residual


O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, passou hoje (6) por uma radioterapia para controlar um sangramento residual no estômago, que foi detectado por um novo exame de endoscopia digestiva alta. A informação foi divulgada no final da tarde de hoje pelo Hospital Sírio-Libanês, onde Covas está internado desde o último domingo (2).

Segundo o boletim médico, o quadro clínico de Covas é estável, e não há previsão de alta hospitalar.

Em suas redes sociais, Covas escreveu que está bem e em companhia da família, "seguindo com disciplina o tratamento determinado" pela equipe médica. "Um passo de cada vez. Com fé e dedicação, tenho certeza de que vou vencer. Obrigado pelo carinho e apoio de todos vocês", diz a mensagem.

O prefeito licenciado de São Paulo foi internado domingo após exames médicos terem demonstrado sangramento em uma úlcera no estômago, mesmo local onde foi descoberto o seu tumor inicial. Ele foi transferido para uma unidade de terapia intensiva (UTI) e intubado, sendo extubado no dia seguinte, à tarde.

Por causa do sangramento, os médicos tiveram que interromper o tratamento de Covas contra o câncer, que estava anteriormente previsto para ser realizado na última segunda-feira (3). Não há previsão de quando será retomado o tratamento de quimioterapia e de imunoterapia.

Bruno Covas foi diagnosticado com adenocarcinoma em outubro de 2019, um câncer na região da cárdia, entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado e uma lesão linfonodos. Em fevereiro deste ano, os médicos descobriram um novo nódulo no fígado. E, no mês passado, exames de controle identificaram novos pontos da doença no fígado e nos ossos.

Para prosseguir com o tratamento contra o câncer, nesta semana, Covas pediu afastamento do cargo de prefeito de São Paulo por um período de 30 dias.


Notícias relevantes: