Política

Mais 100 milhões de doses


O Ministério da Saúde e a Pfizer/BioNTech assinaram um novo contrato para compra de mais 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. O acordo, que já vinha sendo negociado nos últimos dias, foi confirmado nesta sexta (14) pela empresa e por membros da pasta.

A previsão é que as novas doses cheguem ao país entre setembro e dezembro deste ano. Esse é o segundo contrato assinado pelo governo com a Pfizer. Um primeiro foi fechado em março e prevê envio de 100 milhões de doses até setembro. A entrega foi iniciada em abril deste ano.

As negociações com a Pfizer, porém, demoraram a avançar nos últimos meses.

Nesta quinta (13), o ex-presidente da Pfizer, Carlos Murillo, confirmou em depoimento à CPI da Covid no Senado que a empresa chegou a fazer cinco propostas ao governo brasileiro ainda em 2020 para oferta de 70 milhões de doses, mas nenhum acordo foi fechado à época.

As primeiras propostas previam entrega ainda em dezembro de 2020. Com as recusas, as datas de entrega foram remanejadas para os primeiros meses de 2021, como mostrou a Folha no início de março deste ano.

As falas de Murillo confirmam o que foi dito um dia antes na comissão pelo ex-secretário Fabio Wajngarten (Comunicação), segundo o qual o país deixou parada a negociação com o laboratório durante dois meses.

Antes da assinatura dos acordos, o então ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, alegava que a empresa impunha cláusulas "leoninas" que impediam a negociação. Já a empresa alegava que as cláusulas são semelhantes às adotadas em acordos com outros países.

 (FP)


Notícias relevantes: