Política

Morre o ex-governador do Paraná Jaime Lerner

De acordo com o hospital, a morte se deu por complicações de doença renal crônica


Divulgação
Jaime Lerner, ex-governador do Paraná, morreu nesta quinta-feira (27) aos 83 anos
Crédito: Divulgação

Jaime Lerner, ex-governador do Paraná, morreu nesta quinta-feira (27) aos 83 anos. Arquiteto de formação, ele foi três vezes prefeito de Curitiba e ficou internacionalmente conhecido pela implementação do sistema integrado de transporte público da capital paranaense, na década de 1970.

Ele estava internado desde o dia 21 de maio no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, em Curitiba, após apresentar um quadro de febre.

Segundo hospital, a morte se deu por complicações de doença renal crônica.

Lerner vinha fazendo hemodiálise há algum tempo e, diante disso, foi hospitalizado, de acordo com o ex-chefe de gabinete do político, Gerson Guelmann.

O velório vai ser na capela do Cemitério Israelita do Água Verde, em Curitiba. O sepultamento está previsto para 15h desta quinta-feira no Cemitério Israelita do Santa Cândida.

Jaime Lerner nasceu em 17 de dezembro de 1937, em Curitiba. Foi prefeito da cidade em três mandatos, de 1971 a 1974, de 1979 a 1984 e de 1989 a 1993, e governador do Paraná por duas vezes, de 1995 a 1998 e 1999 a 2002.

Prefeito

Na administração da capital, Lerner ficou internacionalmente conhecido pelo projeto de planejamento urbano e transporte integrado em Curitiba.

O principal legado foi a adoção do sistema de transporte de BRT, que instalou canaletas exclusivas para ônibus e terminais integrados pela cidade em 1974. Nos anos seguintes, o exemplo curitibano foi replicado em várias cidades do mundo.

Governador

À frente do governo estadual, Lerner desenhou o plano do Anel de Integração, que concedeu as principais rodovias do estado à empresas privadas para que os trechos fossem reformados.

Os mandatos de Lerner também ficaram marcados pela privatização do Banestado e a tentativa de venda da Companhia Paranaense de Energia (Copel), que acabou não sendo privatizada por falta de compradores.

Em 2011, foi condenado a três anos e meio de prisão ter feito um aditivo contratual não previsto na licitação original que estendeu a concessão das BR-476 e PR-427. Ele não chegou a ser preso, e a pena foi convertida em multa.

Em 2013, foi condenado a pagar uma multa por improbidade administrativa em um processo sobre pagamento irregular de indenizações a donos de áreas desapropriadas em Cascavel, no oeste do estado.

Influência

Lerner teve seis livros publicados, a maior parte deles tratando sobre planejamento urbano.

Lerner recebeu prêmios e títulos internacionais, com destaque para o Prêmio Máximo das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em 1990, e Unicef Criança e Paz, em 1996.

Em 2010, ele foi listado pela revista americana Time como um dos 25 pensadores mais influentes do mundo e recebeu a Medalha de Urbanismo da L’Académie D’Architecture, na França.

 


Notícias relevantes: