Política

O Brasil oferece 'oportunidades únicas' a investidores estrangeiros


/Agência Brasil
Jair Bolsonaro participou de videoconferência sobre investimentos
Crédito: /Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (31), em evento voltado a investidores estrangeiros, que a pandemia não vai comprometer, a longo prazo, a economia brasileira. Segundo ele, o Brasil oferece "oportunidades únicas a investidores de todo o mundo" devido a seu potencial e à segurança jurídica e econômica que vigora no país.

A declaração foi dada em videoconferência durante a cerimônia de abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2021, evento organizado pela Apex-Brasil, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e o governo federal. "A atual crise sanitária enseja preocupações, mas não tem o poder de comprometer o longo prazo de uma das maiores economias do mundo. O Brasil está preparado para oferecer oportunidades únicas a investidores de todo o mundo por suas potencialidades, assim como por sua segurança jurídica e econômica", disse o presidente

Bolsonaro destacou as "metas expressivas" do fórum, que conta com a participação de 101 países. Segundo o presidente, serão apresentados, ao longo do evento, 60 projetos com um potencial de investimentos de US$ 72 bilhões. "A partir das propostas apresentadas, a expectativa é de o Brasil receber US$ 50 bilhões em investimentos, de forma a gerar 22 mil empregos entre 2021 e 2022", disse o presidente, acrescentando que a economia brasileira "já retomou seu crescimento e geração de empregos".

Bolsonaro defendeu a exploração sustentável das riquezas na Amazônia brasileira, apontando essa estratégia como ferramenta de superação do que classifica como "paradoxo amazônico, em que baixo desenvolvimento contrasta com a riqueza ambiental única no planeta".

"A adequada remuneração dos serviços ambientais prestados na região amazônica; a concretização da bioeconomia; e a exploração sustentável dos recursos florestais, minerais e agrícolas, de forma inovadora, são imperativos para superarmos esse paradoxo. Nunca tive dúvidas de que é falso considerar opostos o desenvolvimento e a sustentabilidade", argumentou o presidente.


Notícias relevantes: