Política

PSDB contraria João Doria


A comissão das prévias presidenciais do PSDB finalizou, nesta segunda-feira (31), sua proposta de eleições internas para a direção nacional do partido, que irá deliberar as regras sugeridas pelo grupo e aprovar a versão final.

Em uma derrota para o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que defendia voto de todos os filiados e com o mesmo peso, a ideia é fazer a votação em quatro grupos, "todos com peso unitário de 25% do total de votos".

Os grupos são: um de filiados; um de prefeitos e vice-prefeitos; outro de vereadores,
deputados estaduais e distritais; e o quarto grupo reúne governadores, vice-governadores, senadores, deputados federais, ex-presidentes e presidente do PSDB. Dentro de cada grupo, os votos têm o mesmo peso.

Isso significa que os votos de cada candidato dentro de cada grupo serão contabilizados dentro da proporção de 25%. Por exemplo, se um candidato receber 100% dos votos de um grupo, a contagem final será de 25% para ele.

Outro exemplo: no grupo um, o candidato A tem 60% dos votos e o B, 20%. Na conta final, o A soma 15% e o B, 5%. Primeiro, é feita a apuração em cada grupo e, depois, se chega ao resultado final com a somatória.

A data sugerida é o dia 21 de novembro, um adiamento em relação à data inicialmente marcada pelo presidente do PSDB, Bruno Araújo, em 17 de outubro -outro revés para Doria, que queria a manutenção das prévias na data prevista. (FP)


Notícias relevantes: