Política

Médica Nise Yamaguchi presta depoimento na CPI da Covid

A oncologista e imunologista negou ter solicitado qualquer alteração na bula da cloroquina


Divulgação
Nise Yamaguchi negou ter pedido para alterar a bula da Cloroquina
Crédito: Divulgação

A CPI da Pandemia ouviu ontem (1) a médica Nise Yamaguchi, oncologista e imunologista, que defende o chamado "tratamento precoce" para a covid-19. Funcionária do Hospital Israelita Albert Einstein, Nise tem 62 anos e chegou a ser cotada para o cargo de ministra da Saúde após a demissão de Luiz Henrique Mandetta, em abril de 2020, e no mês seguinte, quando Nelson Teich deixou o comando da pasta, 29 dias após sua nomeação.

Nise negou ter sido convidada para cargo de ministra da Saúde. Questionada pelo relator, ela afirmou que não houve convite formal por parte do presidente Jair Bolsonaro e que participou de uma reunião pontual.

"Foi somente a reunião onde participei do comitê de crise. Mas não houve um convite formal [para chefiar a pasta da Saúde]. Só para participar daquela reunião pontual. Ele nunca me convidou para ser ministra da Saúde. Foram ilações que a imprensa fez."

O nome da médica era uma das opções cotadas para assumir o cargo em abril do ano passado, após a demissão de Luiz Henrique Mandetta. Nise chegou a participar do evento de lançamento da campanha de prevenção à violência doméstica no Palácio da Planalto, em meio à notícia da exoneração do atual ministro da Saúde, Nelson Teich.

A médica Nise Yamaguchi negou ter solicitado qualquer alteração na bula da cloroquina, como foi mencionado durante o depoimento do presidente da Anvisa, Antonio Barra Tores.

Ao ser questionada pelo relator Renan Calheiros, Nise afirmou desconhecer o documento que pediu a mudança na bula do medicamento. "Não fiz nenhuma minuta e não conhecia esse papel que estava na reunião. Me pediram pra conversar sobre a cloroquina, e eu estava conversando sobre essa resolução. Sobre a bula e a presença da cloroquina no site do Ministério em pacientes moderados e graves."

"A minuta jamais falava de bula e sim sobre a disponibilização de medicamento. Não houve minuta de bula, não participei disso", completou.

 (Das agências)

 


Notícias relevantes: